Que venha 2012!

31/12/2011

Segundo vi ontem em um programa de TV, o número 5 é bastante favorável. E 2+0+1+2 soma 5. Que venha então esse ano cheio de grandes possibilidades, fantásticas oportunidades… e muito trabalho, pois afinal alguma coisa nos cabe.

Obrigado a todos os que nos acompanharam aqui. Ano que vem tem mais, muito mais. E do bom. Abraço forte.

Ciclo Vivo:

(…) Diversas pessoas ao redor do mundo querem mudar para melhor a situação de milhares de indivíduos, e estão buscando soluções para acabar com problemas como a escassez e acesso a água potável, problemas de acesso à energia elétrica e internet, aquecimento global entre outros. (…) Pessoas e Organizações estão desenvolvendo trabalhos incríveis para ajudar a situação crítica que o planeta enfrenta. (…) Bola de futebol que gera energia (…) Lâmpada de LED movida a energia solar (…) ONG leva energia elétrica a comunidades carentes da África (…) Fogão a lenha que gera energia elétrica (…) Purificador de água que usa apenas a energia solar (…) UNICEF cria quiosques digitais para levar internet à África (…)

Conheça os seis projetos que o CicloVivo separou e que servem de exemplos para ajudar a mudar o mundo.

Quem não enviou um email errado levante a mão. É, parece que a experiência de enviar emails para o destinatário errado não é, afinal, tão incomum. Mesmo quando se trata de uma das maiores empresas de comunicação do mundo. E foi o que aconteceu com o New York Times. O marketing do jornal preparou uma promoção agressiva de recuperação de ex-assinantes, 50% de desconto, mas escolheu com cuidado os destinatários, apenas cerca de 300 pessoas que haviam cancelado recentemente suas assinaturas. Tudo certo até que, na hora do envio, alguém apertou o botão errado e lá se foi a mensagem para 8,6 milhões de endereços que estavam na base do jornal. Leia o resto deste post »

Ciclo Vivo:

O presente de aniversário que a cidade de São Paulo receberá no próximo mês é o fim do uso das sacolas plásticas. A lei está suspensa, mas a cidade vai banir as sacolinhas. A solução para os consumidores será o uso das sacolas retornáveis, os antigos carrinhos de feira, caixas de papelão que o próprio mercado doa e a compra de sacolas biodegradáveis – feitas com amido de milho. Estas sacolas são vendidas a R$ 0,19.

Os consumidores de Jundiaí e Belo Horizonte, as primeiras cidades a aderirem a esta nova medida, foram resistentes quanto à eficácia do projeto. Outros que também dividem esta opinião são os ambientalistas que afirmam que falta infraestrutura para a decomposição das sacolas biodegradáveis. Leia a matéria completa.

Ciclo Vivo:

O Instituto Harmonia na Terra lançou um jogo para incentivar a luta pela preservação de ecossistemas e por um mundo mais justo. Trata-se do game baseado nos princípios da Carta da Terra. Uma boa ideia para criar consciência ambiental brincando. A Carta da Terra é uma declaração de 16 princípios éticos para uma sociedade sustentável formulada inicialmente na Eco 92, no Rio de Janeiro, e finalizada em conferência na França, em 2000.

O jogo foi criado pelos ambientalistas Guilherme Blauth, Patricia Abuhab, Cláudio Casaccia e Gisela Sartori Franco. Blauth, que também é um dos fundadores do instituto, acredita que na prática a Carta ainda é irreal. Então, o grupo desenvolveu o jogo por sete anos para assim difundir seu conteúdo e ajudar na divulgação para que alcance mais pessoas. Leia a matéria completa.

A Apple acaba de registrar a patente de uma tecnologia  capaz de converter células de hidrogênio e oxigênio em água e energia elétrica. Na prática, isso significa produzir baterias que podem alimentar aparelhos portáteis por dias e semanas sem precisar recarregar. iPhones e iPads serão certamente os primeiros produtos beneficiados por essas baterias.

O diagrama de uma das patentes para bateria de hidrogênio da Apple

Segundo o jornal inglês Telegraph, que deu a notícia, tecnologias similares estavam sendo encaradas como uma fonte potencial de energia para carros mais limpos. Os fabricantes de outros equipamentos eletrônicos também mostravam interesse crescente em substituir as baterias que utilizam ingredientes tóxicos por células de hidrogênio, que duram mais e deixam apenas água como resíduo.

A Apple, em sua solicitação de patente, aponta para outras implicações, além da conveniência do consumidor: “A dependência continuada do nosso país em combustíveis fósseis tem forçado nosso governo a manter relacionamentos políticos e militares complicados com governos instáveis no Oriente Médio e também expõe nossas costas e nossos cidadãos aos riscos associados à perfuração oceânica.”

Essas baterias estarão em breve no mercado? O jornal inglês não arrisca previsões em sua matéria, ao contrário de alguns coleguinhas brasileiros, que usaram a expressão “em breve”, ao comentá-la.

 

 

Já havia lido alguns relatos sobre o assunto, mas este, do http://www.umacoisaeoutra.com.br, nos pareceu o mais completo. Confiram:

O velhinho de roupa vermelha e barba branca que vemos na véspera do Natal nos centros comerciais de todo o mundo converteu-se em ícone cultural da sociedade de consumo do terceiro milênio. O mito do sorridente personagem que encanta as crianças foi forjado ao longo dos últimos dezessete séculos, baseado na história de um bispo que viveu no século IV. Leia o resto deste post »

Calma. A gente não está antecipando as inevitáveis enchentes dos próximos meses. Trata-se de um projeto arquitetônico feito pelo arquiteto e professor da Universidade de São Paulo, Alexandre Delijaicov. A proposta é tornar a cidade  mais sustentável com a retomada de projetos do Século XIX, no quais ela se tranformaria em exemplo do uso do transporte hidroviário.

Leia a matéria completa.

Portal ProXXIma:

O YouTube anunciou nesta quarta-feira, 30, uma reformulação para sua ferramenta de estatísticas. O recurso agora se chama YouTube Analytics e mostra a retenção absoluta do público-alvo. Esse item específico exibirá em um gráfico de qual o momento em que um determinado vídeo é mais assistido. A ferramenta também passou a exibir o chamado relatório de engajamento, que mostra quanto um vídeo foi compartilhado, quantos assinantes novos trouxe para o canal e a média de likes e dislikes que teve ao longo do tempo que está disponível.

A agência Dito, especializada em aplicativos, construiu o infográfico abaixo, utilizando a ferramenta Graph Monitor. (Fonte: ProXXIma)