Atualizações estão afetando, além de conteúdos extremistas, tópicos como vídeogames

Leia o resto deste post »

Resultado de imagem para paid searchCom gastos cada vez maiores e concorrência cada vez mais acirrada, é necessário usar estrategias e ferramentas corretas Leia o resto deste post »

Resultado de imagem para comScoreÉ mais uma medida para evitar a contaminação dos anúncios por conteúdos ofensivos

Leia o resto deste post »

chatbot shopfacil

Chatbot do Shopfácil no Facebook. Confira abaixo

Webinar acontece no dia 11 de abril com dicas que visam otimizar a relação entre marcas e clientes, além da melhoria do ROI das campanhas
Serviço de webmail mais popular do mundo, o Gmail promove constantes atualizações em busca de oferecer uma melhor experiência aos assinantes no uso da ferramenta. Para os profissionais de marketing, o desafio está em ficar atento a essas mudanças, de maneira que seus investimentos em campanhas não sejam encaminhados para o “lixo virtual” ou a “caixa de spam”. Não é novidade que o número de assinantes do Gmail cresce a cada dia e, por consequência, aumenta a presença de usuários do provedor na lista de destinatários das campanhas dos profissionais de marketing. Sabendo disso, a Return Path preparou o webinar: “Entregabilidade no Gmail: dicas para monitorar a entrega por categoria e entender o impacto no resultado de suas campanhas”. Durante a ação, que acontece no dia 11 de abril, Samuel Sousa, associate technical account manager da Return Path, esclarecerá importantes dúvidas dos profissionais de marketing, como: impactos das abas do Gmail na entregabilidade; performance do programa de e-mail; otimização da experiência do assinante; e melhora do ROI das campanhas. As inscrições estão abertas, são gratuitas e podem ser realizadas gratuitamente pelo link abaixo.
“O Gmail é um dos provedores que mais cresce e se destaca na indústria do e-mail. Portanto, acho fundamental que os profissionais de marketing fiquem cada vez mais inteirados sobre o funcionamento dessa plataforma e as alternativas para usá-la de uma maneira mais eficiente, conquistando resultados cada vez mais positivos para o negócio”, explica Samuel Sousa, associate technical account manager da Return Path.
Webinar da Return Path
Tema – Entregabilidade no Gmail: dicas para monitorar a entrega por categoria e entender o impacto no resultado de suas campanhas
Especialista – Samuel Sousa, associate technical account manager da Return Path
Data – 11 de abril de 2017
Horário – das 11h às 12h
Acesso – https://cc.readytalk.com/registration/#/?meeting=p402h1gxuv6d&campaign=hezn3ut4d5xb

9 dicas de SEO para melhorar seus vídeos no youtube
O YouTube é parada obrigatória na internet para quem quer acompanhar vídeos de todos os tipos. Portanto, é impensável ignorá-lo quando falamos de publicar conteúdo audiovisual na rede. Por outro lado, a popularidade dessa plataforma implica em maior concorrência para o seu conteúdo, o que pode ser uma desvantagem se você não souber como otimizar seus vídeos. A boa notícia é que a solução para esse problema está em um conceito já bem conhecido: o SEO. Aplicando algumas técnicas de SEO em seus vídeos, você passa a contar com muito mais visibilidade e audiência: o seu conteúdo passa a aparecer com mais destaque entre os resultados de busca no YouTube e pode até emplacar boas posições no Google. A ideia é semelhante à do SEO para texto: você precisa conhecer bem a sua proposta e implementar as táticas que farão do seu conteúdo um conteúdo vencedor. A seguir, separamos 9 dicas de SEO para melhorar seus vídeos no YouTube sugeridas por Diego Carmona é CVO do leadlovers. Confira e garanta o seu destaque. 1 – Deixe o objetivo do vídeo bem claro; 2 – Faça uma descrição rica, utilizando de forma adequada a sua palavra-chave (também é interessante fazer uma breve transcrição do vídeo, de forma a ajudar o algoritmo a escanear o texto); 3 – Pense bem na palavra-chave (no YouTube, serve para filtrar os vídeos dentro da plataforma, mas se a sua escolha de palavra-chave for boa o suficiente, ela pode ir além dos resultados de busca do YouTube para começar a obter bom ranking no próprio Google); 4 – Incentive inscrições e likes; 5 – Utilize tags relacionadas; 6 – Nomeie o arquivo adequadamente (o nome original do arquivo também é determinante para a sua performance no ranking de buscas); 7 – Incorpore o vídeo em seus outros conteúdos; 8 – Distribua o vídeo nas redes sociais; 9 – Faça vídeos de qualidade. Fonte: Adnews

Chatbot do ShopFácil.com permite compras no Facebook
A partir de agora, os clientes do ShopFácil.com, empresa da Organização Bradesco, podem realizar transações, sem sair do Facebook Messenger. A novidade, recém-lançada na rede social em parceria com a Visa, baseia-se em um chatbot equipado com inteligência artificial e processamento de linguagem natural. “Ao oferecer a possibilidade de pagamento no Facebook, fechamos o ciclo e oferecemos uma experiência de compra completa em uma mesma plataforma”, disse Marcelo Sarralha, diretor executivo de produtos da Visa do Brasil, em comunicado à imprensa. Além disso, a ferramenta busca por produtos, recomenta ofertas baseadas no perfil do usuário e consulta preços. Para realizar a aquisição, basta o consumidor já ter realizado uma compra anterior no ShopFácil.com. “Somos a primeira empresa do varejo brasileiro a oferecer a possibilidade de comprar produtos via Facebook Messenger. Estar numa plataforma como o Facebook facilita ainda mais a popularização do serviço. Para se ter uma ideia, um mês após o lançamento, o robô já interagiu mais de 117 mil vezes. Acreditamos que essa plataforma vai ajudar a dobrar as vendas da empresa”, concluiu Carta Mita, superintendente do ShopFácil.com. Fonte: Meio&Mensagem

O problema tem muito a ver com a pressão para conseguir espaços mais baratos via mídia programática Leia o resto deste post »


O superempreendedor – e o Silicon Valley – estão em uma busca para unir um computador com um cérebro humano Leia o resto deste post »

Resultado de imagem para ibm watsonSolução é elemento crítico na estrategia de Internet das Coisas da “big blue” Leia o resto deste post »

Resultado de imagem para 360-degree video snapchatInterações são duas a três vezes maiores ao usar a plataforma
Marcas como Universal Pictures, Chick-fil-A e Netflix estão experimentando os vídeos 360 graus do Snapchat, e Michael Rucker, da OmniVirt, disse que os clientes de sua empresa estão vendo taxas de “swipe-up” (quando o usuário passa o dedo na tela de um dispositivo mobile para dirigir a ação) duas a três vezes superiores quando usam o formato. Nick Cicero, da Delmondo, prevê que o uso de vídeos 360 graus vai crescer muito na plataforma, “porque o ato de swiping up é muito poderoso, pois sinaliza intenção”. Fonte: Digiday

Google lança programa de extensões para Gmail

O Google está fazendo o possível para que desenvolvedores levem seus serviços para o Gmail, usando novas integrações chamadas Add-ons. São construídos de tal form que os desenvolvedores só precisem escrever um conjunto de códigos na linguagem Apps Script, do Google. Assim, uma extensão QuickBooks permitiria que os usuários enviassem facilmente faturas para seus clientes. O Google já oferece extensões para seus softwares de processamento de texto, Docs, e planilhas, Sheets. Esse tipo de sistema pode ser útil para os usuários porque os ajuda a terminar seus trabalhos sem sair do Gmail. Também ajuda a atrair os usuários para o app oficial de email do Google, em vez de usar um dos vários outros clientes que podem acessar o serviço, incluindo o Microsoft Outlook. Fonte: CIO.com

Vídeos nativos do Facebook tem uma taxa de compartilhamento 1.055% superior ao do YouTube
Vídeo nativo está se tornando imensamente importante. Com 25% dos usuários nos EUA adotando um bloqueador de anúncio no ano passado, o conteúdo nativo é como os anunciantes estão evitando o problema. E o video nativo é uma das razões pelas quais o marketing de influenciadores e o conteúdo gerado pelo usuário tornou-se tão importante Em um estudo publicado nesta segunda, 13/3, pela Quintly, empresa de análise de mídias sociais — que usou dados de 6,2 milhões de posts de 167 mil perfis do Facebook durante 2016 — uma coisa é clara: o vídeo nativo não apenas tomou conta do Facebook como fez isso por causa do design. O Facebook está determinado a alcançar e ultrapassar o YouTube na guerra de vídeos. Em 2015, a VB Insight estudou as duas plataformas e descobriu que o YouTube ainda era 11X maior do que o Facebook. Na época, os americanos passaram um agregado de 8.061 anos no YouTube e 713 anos no Facebook. Mas com os vídeos rodando automaticamente nos timelines e um design que reduz a importância das outras plataformas de vídeo, a gigante das redes sociais está diminuindo a dianteira do YouTube. “Nosso último estudo já mostrou os vídeos nativos do Facebook como dominantes na rede social”, contou Nils Herrmann, da Quintly. Em dezembro de 2016, mostrou o estudo, o desempenho foi 186% superior aos videos do YouTube e a taxa de compartilhamentos foi 1.055% superior. Outra prova do acerto da tática do Facebook é o fato de que os compartilhamentos de vídeos do Vimeo praticamente desapareceram inteiramente da rede — apenas 2% dos perfis incluíram um link do Vimeo em seus feeds. Fonte: Venture Beat

 

Advertisers have even less time to connect as mobile video hits turning point

Usuários mobile preferem vídeos mais curtos. Confira abaixo

Estudo da Fjord Accenture revela as oito tendências digitais que darão o tom para marcas e empresas em 2017 Leia o resto deste post »

Resultado de imagem para emailfatigueFrequência exagerada cansa o usuário, mas conteúdo também é importante

Leia o resto deste post »