Barbie é um ícone cultural celebrado por artistas como Andy Warhol, o museu do Louvre de Paris e a música satírica de 1997 “Barbie Girl”, do grupo pop escandinavo Aqua.

E, desde a data de hoje, também é uma sexagenária. A boneca nasceu, digamos assim, em 9 de março de 1959. Essa é a data, na verdade em que ela foi apresentada na Feira de Brinquedos de Nova York.

Sex-agenária, também podemos dizer, porque a Mattel está cada vez mais antenando seu principal produto com as realidades do mundo atual.

No aniversário da boneca,o fabricante aproveitou para apresentar novas coleções que homenageiam modelos reais e carreiras nas quais as mulheres continuam sub-representadas. São versões da Barbie que homenageiam 20 mulheres inspiradoras – da tenista japonesa Naomi Osaka à modelo britânico e ativista Adwoa Aboah.

Há também seis bonecas que são astronautas, pilotos, atletas, jornalistas, políticos e bombeiros, carreiras em que a Mattel afirma haver sub-representação femininas.

Resultado de imagem para primeira barbieEssa parte não é exatamente uma novidade. A Barbie já representou mais de 200 carreiras, de cirurgiã a desenvolvedora de videogames, desde sua estréia, quando ela usava um maiô listrado em preto-e-branco. Depois de críticas de que o corpo curvilíneo de Barbie promovia uma imagem irrealista para as meninas, a Mattel acrescentou uma variedade maior de tons de pele e formas corporais, vestiu a boneca com hijab, as vestimentas tradicionais islâmicas, e até criou kits de ciência para tornar a Barbie mais educativa.

As bodas de diamante da Barbie também emprestaram glamour à boneca: uma das versões usa um brilhante vestido de baile com detalhes em prata.

[RawStory]

artificial intelligence, ai, gansNa verdade, você não só não as conhece como nunca irá conhecer.

Simplesmente porque elas não existem.

Mais ainda: elas nunca existiram e nunca existirão. O que você está vendo é resultado de Inteligência Artificial.

As imagens foram criadas através de algoritmos conhecidos como Redes Generativas Adversariais, ou Generator Adversarial Networks (GANs,), que usam dois programas de computador, o gerador e o discriminador, que fazem uma espécie de competição um contra o outro, buscando pontos convergentes em conjuntos de dados de faces reais para gerar faces artificiais que vão se refinando ao longo do tempo .

Os resultados são chocantes, admita.

Se você ver mais dessas pessoas “impossíveis”, acesse o site This Person Does Not Exist. Cada vez que você der refresh na página aparece uma delas. [SecondNexus]

Uma ótima maneira de explorar o Planeta Vermelho, ou a garantia de que vamos morrer nas mãos da SkyNet? (artigo de Victor Tangermann, editor do site Futurism) Continue lendo »

Resultado de imagem para alexa ai

Os milhões de usuários do Echo já estão acostumados a ouvir Alexa, assistente virtual que responde a comandos por voz incorporada a esse alto-falante da Amazon e inúmeros outros produtos, responder em tom relaxante questões sobre o tempo e dialogar sobre o pedido de comida, entre outras tarefas básicas.

Foi natural, portanto, o choque que um cliente teve recentemente ao ouvir Alexa dizer, no tom relaxante de sempre: “Mate seus pais adotivos”. Continue lendo »

Resultado de imagem para lightsaber luke skywalkerO sabre de luz de Luke Skywalker do primeiro filme de “Guerra nas Estrelas” – uma das armas mais emblemáticas da história do cinema – será leiloado em Los Angeles na semana que vem e poderá atingir o valor de 200 mil dólares – ou mais. Continue lendo »

Lembram do “Oumuamua”? O nome oficial desse objeto interestelar que passou pelo Sistema Solar em uma trajetória altamente hiperbólica é “1I/’Oumuamua” e foi o primeiro que comprovadamente veio de fora do nosso sistema. Continue lendo »

Bilionário japonês comprou todos os assentos da espaçonave e pretende levar artistas com ele

Continue lendo »

Resultado de imagem para bíbliaA versão original até sugeria que tudo bem Continue lendo »

‘Vamos falar de sexo’ traz dados sobre a vida sexual de mais de 12 mil adultos no Brasil e outros 20 países

Continue lendo »

https://futurism.com/wp-content/uploads/2017/02/dna-slides-1400x600.jpgDr. Robert Chapman, PhD Candidate, Goldsmiths, University of London, é categórico: não. E fornece as evidências disso no artigo publicado no TheScientificAmerican.com e que traduzi. Continue lendo »