(texto escrito por Fernando L. G. Guimarães para o livro Os Pilares do Relacionamento)

Primeiro, é preciso publicar seu livro. Mas isso hoje em dia é cada vez mais fácil. Minha sugestão é usar a ferramenta de publicação do portal PerSe, www.perse.com.br. Fácil, prático – e você  não gasta nem um tostão para fazer isso, seja seu livro impresso ou eletrônico (eBook).

Durante o processo de publicação, você fará um resumo do livro. Isso já será um primeiro passo para a divulgação da obra. Basta publicar em sua página do Facebook ou em comunidades do Orkut.

Mas eu não ficaria apenas nisso. Abriria no Facebook uma página especial para o livro. Depois, avisaria meus amigos por email. Assim, eles poderiam usar o botão ‘curtir’ – automaticamente, a informação é compartilhada com os amigos deles.

Aproveite o resumo e vá mais fundo: crie frases com até 140 caracteres para divulgar no Twitter. Existem algumas ferramentas que organizam essa divulgação (eu uso o HootSuite.com). Você pode pegar as frases e programar para que sejam publicadas regularmente durante uma semana, por exemplo.

Email é uma ferramenta que não pode ficar de fora. Falei em usá-lo para divulgar a página no Facebook. Mas o importante é usar o email para levar as pessoas até a loja do PerSe e fazê-los comprar o seu livro.

No processo de publicação no PerSe, além do resumo, você deverá escolher e publica palavras-chave que tenham a ver com o conteúdo do livro. Essas palavras-chave são “tags” que aparecem para os sites de busca como Google, Bing, Yahoo e outros. Se quiser investir um pouco, você pode usar links patrocinados. São os anúncios que aparecem nas buscas geralmente no lado direito desses sites. Saiba mais em google.com/adwords, advertising.microsoft.com/brasil/bing, searchmarketing.yahoo.com/pt_BR/arp/internetmarketing.php e outros.

Mesmo que seu livro seja publicado apenas de forma eletrônica, eu aconselho a usar peças offline. Um postal, por exemplo, funciona bem como divulgação e é bastante barato. Um marcador de livro também é uma peça funcional e atraente. Se você tiver locais de interesse para o seu livro, use também cartazetes.

 

Anúncios

MM Online:

Os celulares seguem como um dos objetos de consumo que mais despertam o interesse do usuário: no ano passado, foram vendidos 101% mais celulares do que em 2009, segundo dados da Nielsen Brasil. O destaque ficou para os smartphones (como iPhone, BlackBerry e os top de linha da Nokia, Samsung, Motorola, LG etc.) que registram um aumento de vendas de 279% em relação a 2009.

Dados da IDC confirmam a expansão do mercado de smartphones: segundo a empresa, foram vendidas 5 milhões de unidades no ano passado e, para este ano, a previsão é que as vendas dobrem para 10 milhões de aparelhos.

Os celulares inteligentes responderam, no ano passado, por 3,4% das vendas totais de telefones. “Esse segmento é foco de muita disputa, pois têm um preço 271% superior à média da categoria e traz uma receita superior para os fabricantes”, afirma o diretor de telecom da Nielsen Brasil, Thiago Moreira.

Apenas em dezembro do ano passado, os smartphones foram responsáveis por 17% das vendas totais do ano. É um percentual maior do que o próprio segmento, responsável por 12% das vendas totais. O usuário ainda procura celulares com rádio (que detém share de 96% nas vendas e cresceram 124%), com câmera (participação de 57% e crescimento de 121%) e tocador MP3 (participação de 37% e crescimento de 166%).

Durante a Copa do Mundo da África do Sul, os celulares com TV digital integrada também se destacaram. Atualmente, o segmento já é responsável por 2,75% das vendas totais dos celulares, cujos modelos custam, em média, 197% mais do que os telefones sem a função.

Proxxima:

O iPad 2 deve ser apresentado ao mundo no dia 2 de março. É o que informa o Wall Street Journal, fato dado primeiro por um de seus blogs, o All Things Digital. O anúncio, segundo o diário, será feito em São Francisco. A companhia não comenta a história. A notícia gerou repercussão na mídia, em especial em redes como o Twitter.

Havia uma grande expectativa em torno da apresentação do iPad 2. Depois que uma corretora deixou escapar que o prazo de lançamento poderia ser adiado para junho, em virtude de problemas para produzir o novo aparelho – que seria mais fino, com câmera e melhor resolução do que o modelo anterior -, as ações caíram perto de 3%. Isso porque esperava-se que o tablet seria apresentado perto de abril, mês em que, no ano passado, o iPad foi introduzido ao mundo.

 

 

Segundo um estudo publicado na edição de hoje do Journal of the American Medical Association, sim. O estudo confirma o que pesquisadores suspeitam há muito tempo: longas conversações afetam partes do nosso cérebro.

Isso é necessariamente ruim? Não. Os autores não sabem como o cérebro é afetado – eles sabem apenas que os celulares “acendem” uma parte significativa da matéria cinzenta próxima ao telefone.

“Não sabemos se isso é deletério ou se pode ter algum efeito benéfico”, explicou a líder do projeto, Dra.Nora Volkow.

Efeitos benéficos? Sim, é possível. O estudo descobriu que o metabolismo de um pequena area do cérebro mais próximo da antena do celular ficava 7% mais alto depois de uma ligação de 50 minutos. Porque aumenta os níveis de glucose. E isso ocorre quando empreendemos atividades cerebrais complexas.

Ou seja, o celular funcionaria como exercício para o cérebro, certo? Não necessariamente. Tumores também precisam de muita glucose. Do ponto de vista pessimista, portanto, isso poderia reforçar a visão alarmista de que celulares causam tumores no cérebro.

O fato é que sabemos muito pouco sobre como funciona o nosso cérebro. Seja como for, talvez seja aconselhável fazer como a própria Dra. Nora Volkow: ela usa fone de ouvidos, deixando seu valioso cérebro bem longe das antenas do celular.

Fonte: Mashable.com

 

Inventor cria duas baterias em um só volume, uma destinada ao som e às luzes e outra para dar partida no motor.

O inventor Amarildo Alves desenvolveu o projeto “Aprimoramento em bateria para veículos”, constituído por duas baterias unidas num único volume, sendo a principal e maior destinada ao som, luzes e demais finalidades e a segunda e menor destinada a dar partida no motor.

A bateria funciona com seus setores ligados entre os conectores em série, por cima da tampa intermediária através dos conectores superiores, e por baixo entre os conectores inferiores, os pólos negativos são ligados em paralelo, assim podemos descarregar por um dos pólos positivo um conjunto de placas, que o outro não descarregará.

Alves está em busca de parceiros para ajudar a desenvolver modelos. Com patente requerida em todo o território brasileiro, o inventor busca negociá-la ou obter uma parceria entre montadoras de veículos e fabricantes de motores, peças e acessórios automotivos.

Para maiores informações, acesse:

http://www.inventores.com.br/INVENTOS/Aprimoramentodebaterias/INDEX.HTML

Os interessados devem enviar e-mail para marketing@inventores.com.br
Fonte: Associação Nacional dos Inventores

 


Talvez, é o que diz o site TechCrunch. Segundo ele, o Google estaria refletindo seriamente a respeito de tornar a barra de endereço do Chrome, digamos, menos invasiva. A barra se tornaria visível apenas quando o ponteiro do mouse passasse sobre determinada área da tela. Em outros momentos, ela simples sumiria da interface.

Essa possível mudança aparece logo após o lançamento da versão beta do Internet Explorer 9 que também ilustra o que se poderia chamar de nova tendência minimalista” dos browsers “, deixando mais espaço para as web pages (veja um bom review aqui).

 

Deveria ser impossível, segundo a teoria einsteiniana. Mas John Singleton, um cientista que trabalha no Los Alamos National Laboratory, criou um instrumento que pode fazer com que ondas de rádio viajem mais rápido que a luz. Einstein, na verdade, previu que particulas e informação não podem viajar mais rápido do que a velocidade da luz, mas fenômenos como ondas de rádio estão em outro departamento, afirma Singleton.

O Polarization Synchrotron combina as ondas com um campo magnético girando muito rapidamente e o resultado poderia explicar por que os pulsares — estrelas superdensas que giram rapidamente e que formam uma subclasse das estrelas de nêutron— emitem sinais tão poderosos, um fenômeno que deixa confusos muitos cientistas. Singleton disse que o Polarization Synchrotron basicamente abusa das ondas de radio de maneira tão severa que elas finalmente “desistem” e passam a viajar mais rápido que a luz. E isso pode ser também o que acontece em pulsares.

Leia a matéria completa (em inglês) no site Universe Today.

E acesse o “paper” sobre o Polarization Synchrotron no site da biblioteca da Cornell University.

Info Online:

SÃO PAULO – A Sony trabalha em um tablet que também deverá contar com a marca Playstation, assim como ocorre com o smartphone Xperia Play, segundo o site Engadget.

Adnews:

“Fotos são legais. Mas vídeos são muito mais legais”. Essa é a definição que o Flip Singapore faz do recurso que acabou de lançar para o Facebook. O aplicativo permite que o usuário troque a imagem estática que carrega no perfil por um vídeo sonorizado.

O Flip Video Singapore funciona de maneira bem simples. Para colocar o vídeo, basta acessar a fan page da empresa, selecionar o navegador que está usando e fazer upload do vídeo que deseja ver no perfil.

Há também a possibilidade de se gravar na hora com a câmera do computador e enviar o filme (de até 10mb) por e-mail para a empresa, que o posta para o usuário.

Em versão beta, o Flip Video está disponível para usuários e proprietários de fan pages, mas estes últimos precisam enviar um e-mail para a empresa para habilitar o recurso.

 

MM Online:

Azul foi a 47ª colocada por ser considerada a 'companhia aérea adequada para o Brasil' Azul foi a 47ª colocada por ser considerada a ‘companhia aérea adequada para o Brasil’

Quando se fala em inovação é difícil sair de alguns nomes de empresa que lideram o desenvolvimento de novas tecnologias e soluções para os consumidores. Anualmente, a revista Fast Company divulga seu ranking de empresas mais inovadoras de mundo e nomes como Apple, Facebook e Google estão sempre nas primeiras colocações.

Na edição 2011, a liderança cabe à Apple, que ficou em terceiro no ano passado. A publicação ressalta a empresa por “dominar o cenário dos negócios em 101 maneiras diferentes”, uma referência à inovação em tablets, smartphones e tocadores digitais de música.

O “crescimento explosivo de cinco anos que redefiniu as comunicações” colocou o Twitter na segunda colocação. A empresa havia ficado apenas na 50ª posição no ano passado e teve uma subida impressionante. A Amazon, que ficou em segundo no ano passado caiu para a 27ª, mas foi reconhecida pelos seus esforços em inovação de e-readers.

A terceira colocação foi do líder do ano passado, o Facebook. “Apesar de Hollywood, a empresa tem 600 milhões de usuários”, uma referência ao filme sobre seu fundador Mark Zuckerberg. Fecham o top ten a Nissan, que criou o carro elétrico Leaf, o site de compras coletivas Groupon, Google, Dawning Information Industry (que criou o computador mais rápido do mundo), Netflix (pelo serviço de streaming e por ter quebrado a Blockbuster), Zynga (pelos jogos sociais) e Epocrates (serviço que dá referência imediatas sobre remédios para médicos e enfermeiros).

E há uma empresa brasileira no ranking. A Azul Linhas Aéreas Brasileiras é citada na 47ª colocação por ser considerada a “companhia aérea adequada para o Brasil”. O baixo custo aliado às formas de pagamento que dispensam cartões de crédito são considerados fatores importantes no País. Até o final de 2011, diz a publicação, a Azul deverá chegar a 50 cidades, inclusive muitas que não são atendidas atualmente.

Sonora na lista

O ranking da Fast Company tem sub-divisões por mercados. O Terra foi citado na categoria Música, em quinto lugar, por seu modelo de conteúdo “lucrativo e focado em música”, em referência ao serviço Sonora. A liderança da categoria foi da Pandora, por levar seu serviço de seleção de música aos carros.

Na categoria mobile, o ranking tem, pela ordem, Foursquare, eBay (pelas compras em celular), Voxiva (pelos aplicativos), Skype e Square. No mercado de moda, destaque para Burberry, Opening Ceremony, RentTheRunway, J. Crew e Createthe Group. Em design, as cinco primeiras colocações ficaram com Stamen Design, Local Projects, Hoefler & Frere-Jones, Berg e Fuseproject; em biotecnologia estão Amyris, Orneros, Synthetic Genomics, Galapagos e Amgen.

O homem do desodorante

E, finalmente, a publicidade. A liderança foi conquistada graças ao homem de Old Spice, Grand Prix de Film em Cannes, que garantiu a primeira colocação do ranking da Fast Company à Wieden+Kennedy.

A Kraft aparece em segundo por conta de sua estratégia de marketing para as mães, uma categoria geralmente colocada em segundo plano. Na sequencia, veio a Ford, por suas ações em mídias sociais. Depois, a Mullen, pelo trabalho para clientes como JetBlue e Zappos.

Em quinto, veio o grupo Vivaki, que criou um modelo novo de colaboração entre agências rivais dentro do Publicis Groupe. O Google Creative Lab ficou em sexto, por conta de seus trabalhos interdisciplinares, seguido por Horizon Media, empresa de mídia que seguiu independente mas inventiva e lucrativa.

A Grey de Nova York ficou em oitavo pelo trabalho de marketing focado em histórias contadas que são adicionadas à cultura popular. Foi seguida pela 360i, pelo trabalho em buscas e mobile, e BBDO, pelo trabalho que vai além dos 30 segundos dos comerciais.