Empresas e suas grandes histórias, fidelização para a Mastercard, o que é big data

26/07/2013

Grandes empresas contam grandes histórias

Contar a história da sua empresa pode ser complicado. Mesmo se você tiver um grande material, uma história legal e uma idéia fantástica, você ainda precisa encontrar um jeito de dizer isso de uma maneira interessante e compartilhável. Portanto, antes de começar a escrever palavra por palavra a seção “Quem Somos” do seu site, dê uma olhada nesses três exemplos criativos. Continue lendo em A Zona de Desconforto

Mastercard: os 3 fatores-chave da fidelização

A bandeira de cartões Mastercard está firmemente empenhada em intensificar a fidelidade dos seus usuários e disposta a reinventar-se para aumentar o envolvimento deles com a marca. Por isso, afirma Nandan Mer, Group Executive, Loyalty Solutions for MasterCard Worldwide, está “obcecada” com três fatores que considera chaves para a fidelização. O primeiro é proporcionar aos consumidores o melhor valor todas as vezes que eles optarem por gastar seu “dinheiro arduamente ganho”. O foco é fazer o consumidor perceber valor mesmo fora no ponto de venda. A Mastercard também estaria “obcecada” em ajudar as empresas a melhorarem seus negócios, encontrarem novos clientes que sejam apropriados para seus modelos de negócio e a aprofundar o relacionamento com seus clientes atuais. E o terceiro fator gira em torno de emissores. Segundo o executivo, a Mastercard está ajudando os bancos emissores a aumentar a receita, geralmente sobre a operação que está fluindo a partir da operação subjacente, bem como a oferecer melhor valor para seus consumidores. Ouça o podcast aqui. Leia também: Twitter lança serviço que integra tweets com anúncios, e outras notícias do mercado de Marketing Direto = Marketing Diálogo no Portal da Abemd

Big Data: Rodrigo Arrigoni, sócio fundador da R18, explica a eficácia e o significado do conceito

O que é Big Data? Rodrigo Arrigoni – O termo Big Data nasceu no início da década de 1990, na NASA, para descrever grandes conjuntos de dados complexos que desafiam os limites computacionais tradicionais de captura, processamento, análise  e armazenamento informacional. E, dado o grande universo originado ao redor do assunto nesses últimos anos, hoje o Big Data pode ser considerado como uma região de conhecimento transversal a que abrange diversas áreas produtivas e pesquisas científicas. É uma disciplina focada em gerar conhecimento e inteligência a partir de grandes quantidades de dados complexos. Existe uma diferença entre Big Data e monitoramento nas redes sociais? Rodrigo Arrigoni – Sim, existe. O monitoramento pode ser um projeto de Big Data, dependendo do tamanho da captação, da complexidade de processamento e da análise desses dados. De qualquer maneira, o monitoramento web tem tudo para ser um projeto de Big Data. Hoje, é possível garimpar, processar e gerar relatórios utilizando grandes quantidades de dados em um curto período de tempo. Temos pesquisas, por exemplo, com mais de 3 milhões de posts. Todos são modelados, classificados com Machine Learning e analisados em horas ou minutos, dependendo do tipo de processo. Como o Big Data pode ajudar a publicidade? Rodrigo Arrigoni – O setor publicitário pode utilizar Big Data para gerar insights em diversos pontos do processo comunicacional, como compra de mídia, atualização de linguagem, testes conceituais, análise de tendências ou análise do resultado de campanhas. O conceito também pode ser aplicado para empresas pequenas? Rodrigo Arrigoni – Sim. Considerando que o cloud computing democratizou a infra estrutura necessária, o grande investimento concentra-se na aquisição do conhecimento necessário para aplicação da disciplina. O Big Data exige conhecimento em computação científica, estatística, probabilidade, machine learning, text mining (com processamento de linguagem natural), teoria dos grafos e outros. Existem inúmeras fontes de informação e aulas online gratuitas, além de softwares e linguagens de programação open source para o desenvolvimento desse tipo de projeto. De qualquer maneira, hoje, um dos grandes tópicos no setor é a democratização de soluções prontas para pequenas e medias empresas. Quais são os cases de sucesso que utilizaram o Big Data? Rodrigo Arrigoni – Hoje, várias áreas são guiadas por programas desenvolvidos a partir da análise em Big Data. Na área médica, pesquisadores do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT), da Universidade de Michigan, do Hospital Brigham, de Boston, e da Escola de Medicina da Harvard desenvolveram uma ferramenta que determina com mais precisão a possibilidade de ataques cardíacos e até risco de morte em pacientes que já sofrem do coração. Eles estudaram os eletrocardiogramas (ECG) de um grupo de risco e encontraram indicadores sutis, até então escondidos, que antecipam crises cardíacas. Ao observar fragmentos de dados de ECG, médicos e enfermeiros jamais conseguiriam chegar a uma determinante para o comportamento dos pacientes. Essa tarefa só foi possível ao enxergar o quadro todo, em grande escala, através de técnicas de data mining e machine learning. Também na área médica, um hospital de Santa Clara (Kaiser Permanente Santa Clara Medical Center, Califórnia, EUA) comprou um software que armazena os dados dos pacientes ainda na triagem, junto dos futuros diagnósticos destes mesmos pacientes. A partir do cruzamento com informações e comportamentos de novos pacientes, o software consegue antecipar diagnósticos, sintomas e sugerir tratamento, internações e exames complexos. O sistema custou US$ 4 milhões e foi integrado aos 37 hospitais da rede Kaiser. Hoje, ajuda médicos e enfermeiros a chegarem a diagnósticos mais precisos e rápidos. Big Data também é aplicado em programas de previsão meteorológica – útil para fazendeiros, pescadores e até iatistas ou surfistas – na indústria farmacêutica, no desenvolvimento de novas fontes de energia e também para rastrear terroristas ou detectar fraudes.

 Fonte: Adnews, matéria de Renato Rogenski

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: