Segundo dados do serviço Device Essentials, da Score, publicados hoje, o Kindle Fire, tablet da Amazon lançado em novembro de 2011, conquistou um importante espaço no mercado de tablets, em um curto período de tempo. Entre os tablets com sistema Android, o Kindle Fire quase dobrou sua participação nos últimos dois meses, de 29,4%de participação em dezembro de 2011 a 54,4 % em fevereiro de 2012, alcançando a liderança entre os tablets Android por larga margem. Em segundo lugar, vem a família Samsung Galaxy Tab, com 15,4% em fevereiro, seguida pelo Xoom Motorola com 7%. O Asus Transformer e o Toshiba AT100 completam os top 5, com 6,3% e 5,7% do mercado, respectivamente.

Para detalhes adicionais, leia o press release.

Anúncios

iPad (Apple), Xoom (Motorola) e Galaxy Tab (Samsung) lideram o ranking. Sem surpresas, portanto, o estudo realizado pela E.Life, empresa que monitora e faz análise de mídia gerada pelo consumidor, de 16 a 27 de abril e que analisou um volume total de 133.006 tweets. O levantamento foi realizado por meio do E.life TweetMeter e isolou depoimentos que citavam o termo “tablet” ou as marcas e produtos Acer (Iconia), Apple (iPad), Asus (Eepad), Dell (Inspiron Duo e Latitude), HP (Tablet PC e TouchPad), iTablet, LG (Optimus), Motorola (Xoom) e Samsung (Galaxy Pad).

Dos tweets monitorados, 124.046 citavam o iPad, da Apple (93,3% da amostra), enquanto o Xoom, da Motorola, foi mencionado em 5.235 mensagens (3,9%) e o Galaxy Tab, da Samsung, em 3.850 tweets (2,9%).

Além das marcas monitoradas, também ganharam destaque no período analisado os tablets Win Tab Moove, da empresa Moove, e o V9, da ZTE, em decorrência ao anúncio feito nos dias 26 e 27 de abril sobre a previsão de lançamento desses produtos no mercado brasileiro para o mês de maio.

Foram monitorados apenas tweets publicados em português – sobretudo Brasil – e, entre os internautas que forneceram localização em seus perfis, a maioria vinha de São Paulo. Para postar as mensagens com o termo “tablets”, 42% dos acessos vinham da web, 15% do Twitterfeed e 13% do TweetDeck, aplicativos utilizados para login no microblog.

Fonte: ProXXIma News

Adnews:

De olho no boom do mercado de tablets, a Positivo Informática deve se lançar no terreno no segundo semestre. A iniciativa ocorre em meio ao anúncio de que a Foxconn abrirá a partir de novembro, no interior de São Paulo, fábrica para montar iPads, o que mexeu com os empresários do setor.

Mas a investida da empresa brasileira não será nada fácil. Além da parceria entre a fábrica taiwanesa e a Apple, a Motorola vai investir também na produção local de tablets, com o seu recém-lançado Xoom, e a Samsung também prepara novidades para o Galaxy Tab. “Os tablets são a próxima onda do setor de informática e a empresa não tem como ficar de fora desse movimento”, afirma Luiz Augusto Pacheco, analista da corretora Omar Camargo, em entrevista ao jornal Gazeta do Povo.
Só no no passado, cerca de 100 mil tablets foram vendidos, volume que deve alcançar 400 mil unidades em 2011 segundo projeções do mercado. Até companhias como Itautec e Semp Toshiba querem invadir o filão prenunciado pela Apple. A expectativa é que elas se juntem à Positivo e ofereçam opções ainda para este ano.
O presidente mundial e CEO da Motorola Mobility, Sanjay Jha, anunciou nesta terça-feira, 12, a chegada ao Brasil do tablet Xoom (lê-se Zoom), a ser feito na fábrica da empresa em Jaguariúna (SP) e que chega às lojas das operadoras Claro, Vivo e TIM nos próximos dias. O tablet, a despeito da fabricação nacional, terá o preço equivalente aos outros dois tablets disponíveis no mercado brasileiro: o iPad, da Apple, custa R$ 1.699 (versão WiFi com 32 GB) e R$ 1.799 (versão WiFi e 3G com 16 GB); e o Samsung Galaxy Tab custa R$ 1.749 (versão WiFi e 3G com 16 GB). Por enquanto, esse será o único modelo disponível para vendas.

O Xoom é o primeiro tablet do mercado brasileiro a incorporar o sistema operacional Google Android 3.0 (chamado de Honeycomb), específico para esse dispositivo.
Leia mais…

Info Online:

SÃO PAULO – A Sony trabalha em um tablet que também deverá contar com a marca Playstation, assim como ocorre com o smartphone Xperia Play, segundo o site Engadget.

A Macworld fez uma comparação entre o tablet que a HP acaba de anunciar, o tablet da Apple, que já é um sucesso há algum tempo, e o da Motorola, que surgiu fazendo barulho.

Algumas diferenças são importantes. O processador dos dois novos tablets, por exemplo, são mais poderosos do que o do iPad, o que faz com que os aplicativos abram mais rápido neles. Além disso, têm mais memória RAM, o que auxilia na multitarefa. Em compensação, essas “coisinhas” diminuem o tempo da bateria.

Outra vantagem dos novos: câmera. O Xoom, inclusive, tem câmera frontal e câmera traseira. O iPad não tem nenhuma.  Mas o tablet da Apple tem mais capacidade de armazenamento (o da Motorola, por outro lado, tem capacidade de armazenamento expansível, via cartão SD.

Outras diferenças: o TouchPad pode ser carregado via wireless (sem cabo) com um acessório separado, e o Xoom possui saída para vídeo HD.

E tem a questão do sistema operacional. O TouchPad será o primeiro tablet a rodar o WebOS, o sistema operacional que a HP adquiriu quando comprou a Palm no ano passado. Dessa forma, o aparelho da HP empregará a mesma metáfora “card-stack” (empilhar cartas) encontrada nos smartphones da Palm para organizar os aplicativos.

O Android 3.0, também chamado de Honeycomb, no Motorola Xoom, também é uma novidade. O sistema é o primeiro Android desenvolvido especificamente para tablets e traz vários novos elementos de interface nunca vistos antes em smartphones com o sistema da Google.

Um aviso: como vem por aí o iPad 2, a comparação acima logo, logo poderá estar defasada. É viver para ver.

Os rumores correm pelo mercado desde dezembro, quando uma notícia na confirmada que saiu na Digitimes afirmou que a Foxconn, empresa chinesa que manufatura o iPhone e o iPad, havia recebido um pedido para produzir o novo iPad para lançamento no final deste mês de fevereiro.

Depois, uma semana atrás, houve a informação de que um repórter da Reuters teria visto um protótipo do novo aparelho,  durante o processo de lançamento do The Daily, o jornal do Murdoch feito para iPad.

Mas agora parece mais sério. Afinal, saiu no Wall Street Journal. Além disso, a Apple nunca negou que pretendia lançar uma sequencia de um dos seus produtos de maior sucesso.

A questão é menos portanto se vai mesmo lançar, porque vai, sem dúvida, do que quando – sera mesmo em poucas semanas? –, e quais os novos features que o iPad 2 apresentará.

Nesse último capítulo, as notícias não são entusiasmantes. O novo iPad 2, segundo o WSJ, será um pouco mais fino e mais leve, terá uma câmera na frente (dando sentido ao recurso de videoconferência), terá mais memória e um processador gráfico mais poderoso. A resolução, porém, será similar ao iPad atual (dizem que a Apple está trabalhando em uma tela melhor, mas que não estará pronta para o iPad 2).

Será suficiente para convencer os atuais proprietários a fazerem upgrade? Mais ainda, será suficiente para fazer frente aos novos tablets que estão sendo lançados. Alguns deles já são, aparentemente, uma evolução do iPad (tem gente aqui no laboratório absolutamente entusiasmada com o Motorola Xoom).

Fonte: Mashable

Adnews:

A Motorola concluiu sua investida contra a Apple nesse domingo, com um comercial exibido durante o Super Bowl. A peça – que já havia sido anunciada por meio de um teaser – mostra todos os elementos de uma espécie de totalitarismo cultural, inclusive a obra “1984”, de George Orwell.

No teaser, a companhia promovia seu tablet, o Xoom, mostrando que as pessoas estão viciadas no modo Jobs de trabalhar. A Motorola comparava 2011 com 1984, ano em que a Apple também usou Orwell para dizer que as pessoas eram escravas da IBM.

No filme mostrado durante a final do campeonato americano, um homem que usa o Xoom aparece como destaque em meio a uma multidão de pessoas iguais, todas supostamente portando iPods. Ele, inclusive, lê pelo tablet o livro de Orwell – cuja estória inspirou a criação do reality show Big Brother.

A assinatura do vídeo contrapõe a do teaser, quando a empresa provocava a rival: “Uma autoridade. Um design. Um jeito de trabalhar.” Agora o discurso é outro: “O tablet para fazer um mundo melhor.”

Veja o filme: