Resultado de imagem para 360-degree video snapchatInterações são duas a três vezes maiores ao usar a plataforma
Marcas como Universal Pictures, Chick-fil-A e Netflix estão experimentando os vídeos 360 graus do Snapchat, e Michael Rucker, da OmniVirt, disse que os clientes de sua empresa estão vendo taxas de “swipe-up” (quando o usuário passa o dedo na tela de um dispositivo mobile para dirigir a ação) duas a três vezes superiores quando usam o formato. Nick Cicero, da Delmondo, prevê que o uso de vídeos 360 graus vai crescer muito na plataforma, “porque o ato de swiping up é muito poderoso, pois sinaliza intenção”. Fonte: Digiday

Google lança programa de extensões para Gmail

O Google está fazendo o possível para que desenvolvedores levem seus serviços para o Gmail, usando novas integrações chamadas Add-ons. São construídos de tal form que os desenvolvedores só precisem escrever um conjunto de códigos na linguagem Apps Script, do Google. Assim, uma extensão QuickBooks permitiria que os usuários enviassem facilmente faturas para seus clientes. O Google já oferece extensões para seus softwares de processamento de texto, Docs, e planilhas, Sheets. Esse tipo de sistema pode ser útil para os usuários porque os ajuda a terminar seus trabalhos sem sair do Gmail. Também ajuda a atrair os usuários para o app oficial de email do Google, em vez de usar um dos vários outros clientes que podem acessar o serviço, incluindo o Microsoft Outlook. Fonte: CIO.com

Vídeos nativos do Facebook tem uma taxa de compartilhamento 1.055% superior ao do YouTube
Vídeo nativo está se tornando imensamente importante. Com 25% dos usuários nos EUA adotando um bloqueador de anúncio no ano passado, o conteúdo nativo é como os anunciantes estão evitando o problema. E o video nativo é uma das razões pelas quais o marketing de influenciadores e o conteúdo gerado pelo usuário tornou-se tão importante Em um estudo publicado nesta segunda, 13/3, pela Quintly, empresa de análise de mídias sociais — que usou dados de 6,2 milhões de posts de 167 mil perfis do Facebook durante 2016 — uma coisa é clara: o vídeo nativo não apenas tomou conta do Facebook como fez isso por causa do design. O Facebook está determinado a alcançar e ultrapassar o YouTube na guerra de vídeos. Em 2015, a VB Insight estudou as duas plataformas e descobriu que o YouTube ainda era 11X maior do que o Facebook. Na época, os americanos passaram um agregado de 8.061 anos no YouTube e 713 anos no Facebook. Mas com os vídeos rodando automaticamente nos timelines e um design que reduz a importância das outras plataformas de vídeo, a gigante das redes sociais está diminuindo a dianteira do YouTube. “Nosso último estudo já mostrou os vídeos nativos do Facebook como dominantes na rede social”, contou Nils Herrmann, da Quintly. Em dezembro de 2016, mostrou o estudo, o desempenho foi 186% superior aos videos do YouTube e a taxa de compartilhamentos foi 1.055% superior. Outra prova do acerto da tática do Facebook é o fato de que os compartilhamentos de vídeos do Vimeo praticamente desapareceram inteiramente da rede — apenas 2% dos perfis incluíram um link do Vimeo em seus feeds. Fonte: Venture Beat

Anúncios