Um artigo do New York Times publicado neste sábado, 27/4, conta algumas histórias sobre cyberempreendedores com enredo semelhante: eles criaram aplicativos que ajudavam as pessoas a limitar o tempo que eles e seus filhos gastavam em iPhones. Mas aí a Apple criou seu próprio rastreador de tempo de tela. E em seguida dedicou-se a inviabilizar o negócio deles.

Resultado de imagem para screen time trackerNo ano passado, segundo o artigo, baseado em uma análise da Sensor Tower, a Apple removeu ou restringiu pelo menos 11 dos 17 aplicativos de controle de tempo e de tela mais baixados. E também atacou vários aplicativos menos conhecidos.

Em alguns casos, a Apple forçou as empresas a remover recursos que permitiam que os pais controlassem os dispositivos de seus filhos ou que bloqueassem o acesso de crianças a determinados aplicativos e conteúdo adulto. Em outros casos, ele simplesmente retirou os aplicativos de sua App Store. Continue lendo »

Resultado de imagem para tim cookTim Cook até defendeu leis mais rígidas nos EUA
Nesta semana, o CEO da Apple, Tim Cook, elogiou o Regulamento Geral de Proteção de Dados (GDPR) da União Europeia e defendeu leis de privacidade mais rígidas nos EUA. Sempre que o chefe da primeira empresa de US $ 1 trilhão do mundo aplaude a regulamentação, as pessoas notam. Mas Cook não é o único no mundo dos negócios que acredita que mais leis de dados estão surgindo. Em uma pesquisa realizada em junho de 2018 pela A.T. Kearney, de 400 executivos de todo o mundo, de vários setores, cerca de sete em cada dez entrevistados disseram que o GDPR provavelmente inspirará outros países a expandir as regulamentações de privacidade de dados. Fonte: eMarketer

Continue lendo »