Resultado de imagem para paid searchCom gastos cada vez maiores e concorrência cada vez mais acirrada, é necessário usar estrategias e ferramentas corretas Continue lendo »

chatbot shopfacil

Chatbot do Shopfácil no Facebook. Confira abaixo

Webinar acontece no dia 11 de abril com dicas que visam otimizar a relação entre marcas e clientes, além da melhoria do ROI das campanhas
Serviço de webmail mais popular do mundo, o Gmail promove constantes atualizações em busca de oferecer uma melhor experiência aos assinantes no uso da ferramenta. Para os profissionais de marketing, o desafio está em ficar atento a essas mudanças, de maneira que seus investimentos em campanhas não sejam encaminhados para o “lixo virtual” ou a “caixa de spam”. Não é novidade que o número de assinantes do Gmail cresce a cada dia e, por consequência, aumenta a presença de usuários do provedor na lista de destinatários das campanhas dos profissionais de marketing. Sabendo disso, a Return Path preparou o webinar: “Entregabilidade no Gmail: dicas para monitorar a entrega por categoria e entender o impacto no resultado de suas campanhas”. Durante a ação, que acontece no dia 11 de abril, Samuel Sousa, associate technical account manager da Return Path, esclarecerá importantes dúvidas dos profissionais de marketing, como: impactos das abas do Gmail na entregabilidade; performance do programa de e-mail; otimização da experiência do assinante; e melhora do ROI das campanhas. As inscrições estão abertas, são gratuitas e podem ser realizadas gratuitamente pelo link abaixo.
“O Gmail é um dos provedores que mais cresce e se destaca na indústria do e-mail. Portanto, acho fundamental que os profissionais de marketing fiquem cada vez mais inteirados sobre o funcionamento dessa plataforma e as alternativas para usá-la de uma maneira mais eficiente, conquistando resultados cada vez mais positivos para o negócio”, explica Samuel Sousa, associate technical account manager da Return Path.
Webinar da Return Path
Tema – Entregabilidade no Gmail: dicas para monitorar a entrega por categoria e entender o impacto no resultado de suas campanhas
Especialista – Samuel Sousa, associate technical account manager da Return Path
Data – 11 de abril de 2017
Horário – das 11h às 12h
Acesso – https://cc.readytalk.com/registration/#/?meeting=p402h1gxuv6d&campaign=hezn3ut4d5xb

9 dicas de SEO para melhorar seus vídeos no youtube
O YouTube é parada obrigatória na internet para quem quer acompanhar vídeos de todos os tipos. Portanto, é impensável ignorá-lo quando falamos de publicar conteúdo audiovisual na rede. Por outro lado, a popularidade dessa plataforma implica em maior concorrência para o seu conteúdo, o que pode ser uma desvantagem se você não souber como otimizar seus vídeos. A boa notícia é que a solução para esse problema está em um conceito já bem conhecido: o SEO. Aplicando algumas técnicas de SEO em seus vídeos, você passa a contar com muito mais visibilidade e audiência: o seu conteúdo passa a aparecer com mais destaque entre os resultados de busca no YouTube e pode até emplacar boas posições no Google. A ideia é semelhante à do SEO para texto: você precisa conhecer bem a sua proposta e implementar as táticas que farão do seu conteúdo um conteúdo vencedor. A seguir, separamos 9 dicas de SEO para melhorar seus vídeos no YouTube sugeridas por Diego Carmona é CVO do leadlovers. Confira e garanta o seu destaque. 1 – Deixe o objetivo do vídeo bem claro; 2 – Faça uma descrição rica, utilizando de forma adequada a sua palavra-chave (também é interessante fazer uma breve transcrição do vídeo, de forma a ajudar o algoritmo a escanear o texto); 3 – Pense bem na palavra-chave (no YouTube, serve para filtrar os vídeos dentro da plataforma, mas se a sua escolha de palavra-chave for boa o suficiente, ela pode ir além dos resultados de busca do YouTube para começar a obter bom ranking no próprio Google); 4 – Incentive inscrições e likes; 5 – Utilize tags relacionadas; 6 – Nomeie o arquivo adequadamente (o nome original do arquivo também é determinante para a sua performance no ranking de buscas); 7 – Incorpore o vídeo em seus outros conteúdos; 8 – Distribua o vídeo nas redes sociais; 9 – Faça vídeos de qualidade. Fonte: Adnews

Chatbot do ShopFácil.com permite compras no Facebook
A partir de agora, os clientes do ShopFácil.com, empresa da Organização Bradesco, podem realizar transações, sem sair do Facebook Messenger. A novidade, recém-lançada na rede social em parceria com a Visa, baseia-se em um chatbot equipado com inteligência artificial e processamento de linguagem natural. “Ao oferecer a possibilidade de pagamento no Facebook, fechamos o ciclo e oferecemos uma experiência de compra completa em uma mesma plataforma”, disse Marcelo Sarralha, diretor executivo de produtos da Visa do Brasil, em comunicado à imprensa. Além disso, a ferramenta busca por produtos, recomenta ofertas baseadas no perfil do usuário e consulta preços. Para realizar a aquisição, basta o consumidor já ter realizado uma compra anterior no ShopFácil.com. “Somos a primeira empresa do varejo brasileiro a oferecer a possibilidade de comprar produtos via Facebook Messenger. Estar numa plataforma como o Facebook facilita ainda mais a popularização do serviço. Para se ter uma ideia, um mês após o lançamento, o robô já interagiu mais de 117 mil vezes. Acreditamos que essa plataforma vai ajudar a dobrar as vendas da empresa”, concluiu Carta Mita, superintendente do ShopFácil.com. Fonte: Meio&Mensagem

Visa: Mobile payments will hit mainstream in 2 to 3 years

Traduzindo, a Visa acredita que os equipamentos móveis serão um dos principais meios de pagamento já para os próximos 2 ou 3 anos. A CNET ouviu Bill Gajda, head of mobile da Visa, sobre o assunto. Ele considera que estamos tendo sinais de aceleração mas ainda falta muito a ser feito, principalmente conscientizar os consumidores. Leia a matéria, em inglês, aqui.

Anunciantes dos EUA exigem parte do BV Continue lendo »

Mais um Chart of the week, publicado pelo pessoal do MarketingSherpa. Dessa vez, eles exploraram o grau de dificuldade da implementação das principais táticas de SEO (Search engine Marketing) para ver como podem impactar a execução. Para isso, realizaram uma pesquisa  com mais de 1.500 profissionais de marketing de busca, perguntando o graud de dificuldade em termos de tempo, esforço e dinheiro empregado.

O resultado mostra, por exemplo, por que 74% das empresas que estão no que eles chamam de “fase estratégica” usam a tática “construção de links externos”, enquanto que apenas 37% das empresas na “fase de experimentação” usam a mesma tática. Ela é a que requer maior esforço e mais tempo para serem executadas. Outras duas táticas consideradas de alto grau de dificuldade são a “criação de conteúdo” e “blogagem”.

Confira o gráfico.

 

 

the degree of difficulty of top SEO tactics to see how it might impact deployment. We asked more than 1,500 search marketers the degree of difficulty in terms of time, effort and expense, that marketers report when utilizing top SEO tactics. See this week’s chart for the results.


Até o ano passado, parecia não haver vida publicitária fora do Google. Seria uma questão de tempo, na opinião de alguns, para que tudo se resumisse à gigante de buscas. Bastaria uma boa campanha de adwords para que nossos problemas de comunicação de marketing terminassem. Mas a vida é mais complexa do que sonha nossa vão estratégia de SEO.

Por um lado, surgiu o Facebook, também querendo circunscrever a realidade. Do outro, vieram as próprias dores do crescimento do Google. Lorraine Twohill, vice-presidente de marketing global da empresa, resumiu o dilema: “À medida que crescemos, tivemos mais concorrência, mais produtos, mais mensagens para os consumidores, de modo que precisamos nos empenhar um pouco mais para comunicar o que são esses produtos e como você pode usá-los”.

Em outras palavras, o Google sentiu necessidade de usar outros canais, até os mais tradicionais, como campanhas de TV, para promover sua marca, sua história seus produtos. O Estadão publicou ontem, 8/1, um artigo do New York Times, que conta em detalhes o que o Google está fazendo na mídia tradicional. Vale a pena conferir.

Google invade a mídia tradicional

Fonte: http://www.advivo.com.br

Segundo dados da DMA (Direct Marketing Association), 87% dos investimentos das marcas nas ações digitais está concentrado em campanhas de e-mail marketing, 73% em SEO, 59% em links patrocinados e 37% em blogs ou twitter. As informações apontam que o e-mail marketing lidera o ranking das iniciativas digitais pelo engajamento proporcionado pelo canal, que vai além de uma ferramenta de vendas, se tornando cada vez mais um canal de relacionamento digital.

Fonte: Proxxima