Empresas devem concentrar-se em educar seus seguidores em vez de tentar afogá-los com típicas mensagens comerciais sobre produtos e serviços Continue lendo »

Em janeiro deste ano, as críticas de um consumidor  contra a fabricante de eletrodomésticos Brastemp levaram a empresa a figurar entre os quatro assuntos mais comentados do mundo no Twitter. Nesta semana, o amargo papel foi representado pela Renault. Cansada de esperar durante quatro anos pela atenção da companhia para resolver seu problema, uma consumidora criou um site e gravou vídeos em que conta e compartilha em redes sociais sua indignação com o descaso da marca. Provas indiscutíveis de que as empresas ainda estão falhando em questões fundamentais como o atendimento ao cliente, os dois casos são também emblemáticos porque colocam a reputação das empresas envolvidas em questionamento. Leia a matéria completa no Empreendedor Online.

Zynga lança rede social para games

A produtora dos famosos jogos onlines como Cityville, CastleVille e Words with Friends está lançando a sua própria rede social para games. Conhecido pela relação com o Facebook, o site quer criar um destino para que as pessoas joguem e socializem com quem não necessariamente seja seu amigo. Leia a matéria no Adnews.

Os formatos mais eficientes para publicidade online

MediaMind revela os cinco formatos de publicidade online que apresentam a melhor performance paracampanhas digitais. A pesquisa analisou a ‘Taxa de Dwell’ e a ‘Duração Média de Dwell’ de mais de 300 mil anúncios criativos. De acordo com a pesquisa, os formatos com rendimento mais alto são:Sidekick (Rising Star IAB);Pushdown (Rising Star IAB);Homepage Takeover;Anúncios no Messenger; eVideo Extender. Leia a matéria completa no Portal ProXXIma.

Coca-Cola quer dobrar de tamanho até 2020

Para atingir a meta, uma das soluções é tornar suas marcas as mais comentadas entre os jovens. É o que diz Jonathan Mildenhall, vp de marketing estratégico e comunicação criativa da companhia. Leia a matéria completa no Meio & Mensagem.

Fotos de 20 maravilhosas bibliotecas pessoais e privadas

Eis o brinde! Sugestão de minha amiga Alessandra Coelho, que leu a respeito no blog Menos um na estante. A foto abaixo é da biblioteca do George Lucas. Há outras realmente fantásticas para pessoas como eu que adoram mergulhar em uma leitura. Confiram todas as fotos na Flavorwire.

Biblioteca de George Lucas no Skywalker Ranch, Marin County, California

Quais os limites do Photoshop publicitário?

As imagens de publicidade sempre receberam retoques. E os retocadores de antigamente eram semideuses, pois tratava-se uma arte extremamente difícil. Como o photoshop, no entanto, a coisa mudou: retocar uma imagem agora está ao alcance de qualquer mortal. E dá-lhe embelezamento artificial! (Ou monstruosidades, como prova o site Photoshop disasters.) A discussão está até no Congresso, como podem ver na matéria do Adnews. Continue lendo »

Segundo o site Mashable.com, esportes e redes sociais é um casamento formado no céu. Notícias e resultados aparecem a todo instante, debates acesos pipocam em todos os cantos e os fãs adoram interagir com seus ídolos. A questão é o quanto esses fãs usam de fato as redes. E recentemente a GMR Marketing, especializada em brand-engagement, realizou um estudo e trouxe resultados muito interessantes, como se pode ver no infográfico abaixo. Continue lendo »

Se algum tempo atrás, alguém me dissesse que eu iria ficar fazendo “check-in” com o celular nos lugares que vou, praticamente criando um rastro de onde passa, chamaria esse alguém de louco. “Está me confundindo com o português da piada?”, perguntaria, indignado. Mas eis que surgiu o Foursquare e o conceito de rede de geolocalização e agora é praticamente um vício ficar registrando que estou em tal ou qual lugar. E olha que eu nem sou dos mais fanáticos. Tem um amigo meu que criou o “local” recarregador. Resultado: no leaderboard ele está lá no topo. Continue lendo »

Interessantíssima essa pesquisa que o Adnews noticiou. Confiram:

Uma pesquisa realizada pela Cisco Connected World Tecnology constatou que 44% dos jovens profissionais brasileiros, para serem contratados, preferem que o trabalho permita o acesso às redes sociais a receber um salário alto. A média mundial é de 33%.

Cerca de 56% de todos os entrevistados disseram que, caso encontrassem uma empresa que proibisse o uso das redes, não aceitariam a vaga de emprego ou tentariam contornar a política da empresa. No Brasil, o percentual foi de 74%.

Segundo a pesquisa, 90% dos jovens profissionais brasileiros planejam fazer perguntas relacionadas ao uso de mídias sociais na entrevistas de emprego. Para 53%, esse é um fator relevante para a proposta ser aceita ou não.

O estudo levou em conta 2800 estudantes universitários e jovens de 14 países.

Continuando o pódio dos perdedores:

2. Friendster

Friendster essencialmente inventou o setor de redes sociais em 2002 ao oferecer aos usuários um site onde ele poderiam conferir perfis postados por amigos e amigos de amigos em busca de encontros e namoros. Continue lendo »

E agora o pódio dos perdedores:

1. My Space

MySpace foi criado e lançado em 2003 quando vários empregados da eUniverse que estavam usando o Friendster decidiram replica seus recursos mais populares. Em julho de 2005, MySpace foi comprador por Rupert Murdoch por US$580 milhões. Em 2008, era a rede social mais popular do mundo mas, à medida em que Facebook cresceu e tornou-se o canal social preferido da maioria dos webcidadãos do planeta, MySpace passou a declinar. De acordo com a Comscore, entre janeiro e fevereiro de 2011, os visitantes únicos de MySpace diminuíram assombrosos 14.4%: de 73 milhões para 63 milhões de visitantes. É cerca de metade da audiência que tinham um ano atrás.

Por que falhou? Continue lendo »

Não, não estamos falando do Orkut. Apesar do avanço do Facebook, principalmente entre os mais antenados, a rede “brasileira” do Google continua firme e forte, inclusive crescendo, embora sem a pujança de outrora. Nem estamos falando do Google+. Aparentemente, o modelo de negócio dela é diferente e estaria em planos de futuro para a gigante.

Há outras redes, como o Orkut, com sucesso localizado, como a Sonico, na Argentina, e, principalmente, a Weibo, chinesa. Também não estamos nos referindo a elas. Falamos das redes com vocações grandiosas e mundiais. MySpace, Friendster e Ning são os exemplos trazidos em um artigo do jeffbullas.com. O oxigênio delas, na imagem do Jeff, vem sendo retirado pelo Facebook. Continue lendo »