Estudo mostra que vendas em lojas virtuais têm relação direta com meios de pagamento

Um estudo realizado pela CyberSource Corp identificou que lojas virtuais que fornecem quatro ou mais métodos de pagamento têm uma taxa de conversão de vendas 12% maior que aquelas que oferecem apenas uma opção de pagamento. Continue lendo em A Zona de Desconforto

Fifa “atrapalha” Globo e Copa das Confederações fica sem plano comercial Continue lendo »

Google Glass é proibido em bar antes mesmo de ser lançado

O dono de um bar dos Estados Unidos resolveu proibir a entrada de pessoas usando o Google Glass mesmo antes de seu lançamento. O bar chamado The 5 Point anunciou no Facebook a proibição, sendo o primeiro a realizar tal ato, dizendo inclusive que irá expulsar quem não obedecer a regra imposta. Continue lendo em A Zona de Desconforto

Rolling Stones vão inaugurar Arena Palestra Continue lendo »

Começo a mostrar os conceitos futurísticos de celulares  por um que foi criado por um membro da comunidade do Mozilla Labs, Billy May. Desenvolvido com a ajuda de feedbacks da comunidade, Billy mostra no video acima o conceito do que deveria ser um celular “Open Web”.As duas características mais marcantes da visão do May são o fone de ouvido que é ao mesmo tempo um controle remoto e um projetor dual que podem projetar um teclado virtual de um lado e um vídeo ou imagens do outros.Outros elementos são uma câmera com 8 megapixels, um soquete de áudio de 3,5 mm, conectividade com mini USB e carregamento sem fio. Tudo isso já está disponível nos últimos aparelhos Palm, mas ainda não foi adotado pela indústria em geral.

Como todos os outros da “Concept Series” do Mozilla, o Seabird não tem planos de ser produzido, mas os seus elementos mais interessantes – o projetor para handhelds (pico projector) e o “dongle” (dispositivo externo conectado a um computador) por Bluetooth — são tecnicamente possíveis hoje e, portanto, devemos ouvir falar mais deles logo.

Fonte: Mashable.com

(Robert Galbraith, para Meio & Mensagem)

Aos poucos, os clubes brasileiros estão reduzindo a dependência das vendas de craques ao futebol exterior para fechar suas contas. As projeções da consultoria Crowe Horwath RCS indicam que os times brasileiros devem faturar neste ano um valor próximo de R$ 2,1 bilhões, dos quais cerca de R$ 313 milhões (15%) se forem levadas em conta apenas as receitas oriundas de contratos de marketing e publicidade.

Esse montante, se confirmado, representa um crescimento superior a 15% em relação aos R$ 270 milhões faturados pelos clubes em 2009 – que foi de R$ 1,9 bilhão no total -, segundo cifras recentemente consolidadas pela consultoria. A transferência de atletas ao exterior, que representava 37% do volume de recursos em 2007, caiu para 19% no ano passado.

O Corinthians, segundo o levantamento, foi o clube que mais arrecadou com patrocínio e publicidade no ano passado, tendo alcançado R$ 49 milhões, praticamente o dobro do ano anterior. Na sequência aparecem o São Paulo, com R$ 31,3 milhões; Palmeiras, R$ 23,7 milhões; Santos, R$ 17,8 milhões; Internacional, R$ 16 milhões; Flamengo, R$ 15,2 milhões; São Caetano, R$ 10,9 milhões; e Grêmio, com R$ 10,3 milhões. Esses oito clubes são responsáveis por 65% do total arrecadado com patrocínios e publicidade no ano passado.

De acordo com Amir Sommogi, diretor de esporte total da Crowe Horwath RCS, o ciclo de prosperidade dos clubes brasileiros deve seguir em alta até 2014, quando a expectativa é de que o total faturado chegue a R$ 492 milhões só em marketing, patrocínios e publicidade.