Retorno de anúncios atinge 12.8% com rich media, afirma estudo

O uso de anúncios para dispositivos móveis com Rich Media – jogos, geolocalizadores ou mídias sociais – produziu uma taxa de engajamento dos usuários de 12,8% em média, em uma variedade de dispositivos e plataformas, de acordo com o Celtra Mobile Rich Media Ads Performance Report Q2 2012. “Os usuários engajam-se mais com anúncios mais complexos que incluem mais conteúdo e vários recursos. Conteúdo em rich media está mudando as maneiras dasmarcas se comunicarem com os consumidores por envolvê-los com experiências significativas e muitas vezes úteis, em vez de bombardeá-los com mensagens promocionais”, disse Matevž Klanjšek, chief product officer da Celtra. Leia mais sobre esse estudo na matéria do site MobileMarketerE veja um infográfico sobre o que funciona em publicidade móvel, produzido pela Celtra, em minha página no Pinterest.

Serasa Experian lança serviço pela internet Continue lendo »

O mapa mundi das redes sociais [versão 2012]

O que se observa logo batendo o olho é o avanço do Facebook rumo a conquista do mundo. A rede social passou a dominar vários territórios antes hostis. O Brasil com 50 milhões de usuários, como era de se esperar, não ofereceu muita resistência. O Orkut não conseguiu segurar a investida da maior rede social do mundo e parece já ter perdido essa guerra. Saiba mais no blog Escavando as Mídias Sociais e veja o mapa na minha página no Pinterest.

Números enormes: a fábrica da Lenovo no Brasil Continue lendo »

Google integra Orkut e Google+

Google anunciou na última terça-feira, 29, que os internautas podem conectar seus perfis do Google+ e do Orkut.  A a nova funcionalidade é opcional e faz com que todas as postagens públicas realizadas no serviço social sejam automaticamente replicadas na rede social. Além disso, após a conexão, a foto do perfil e nome do usuário do Orkut ficarão automaticamente idênticas aos do Google+.  Saiba mais no blog do Orkut.

Google lança o Google+ Local Continue lendo »

26 entre os maiores especialistas de marketing mundiais responderam a 6 questões formuladas pelo site Who’s blogging what e pela Hubspot, empresa que desenvolve sistemas de gerenciamento web, email marketing, analytics, etc. Com essas respostas, elas criaram o ebook 54 pearls of marketing wisdom que pretendo compartilhar com vocês. Por um lado, apresentando a tradução de algumas das respostas e, por outro, disponibilizando, para quem quiser o ebook (em inglês)).

As perguntas foram:

  1. O que surpreendeu você no campo das mídias sociais em 2011 e como isso afetou seu planejamento para 2012?
  2. Como fazer o melhor planejamento de longo prazo em móbile?
  3. As mídias sociais afetaram a natureza do conteúdo online?
  4. Como fazer a melhor alocação de recursos entre as maiores redes de mídias sociais?
  5. Se você voltasse a 2006, o que mudaria no desenvolvimento das mídias sociais?
  6. Quais os seus conselhos para os profissionais que trabalham com mídias sociais em relação a 2012?

E vamos às respostas da primeira pergunta (interessante observar as visões conflitantes em relação ao Google+: Continue lendo »

É bem provável que você tenha chegado até este post através de um link publicado em uma mídia social. É bem provável também que você visite pelo menos o Facebook uma vez por dia. E receba digests do LinkedIn, avisos do Twitter e do Foursquare. Talvez até ainda visite o Orkut de vez em quando. Mas já pensou em como é que esse pessoal transforma em dinheiro o fato de você, e milhões de outros internautas, visitá-los diariamente?

O pessoal da Century Links (antiga QWest), uma operadora americana, deu um passo à frente em relação a essa curiosidade e descobriu os métodos através dos quais as redes sociais estão ganhando dinheiro. Vão de anúncios a aplicativos web premium, clientes pagantes, aplicações móveis, e afilliated marketing.

No infográfico abaixo, vocês vão ver que publicidade é, de longe, a maior fonte de receita: 77%. E agências e anunciantes dizem que vão investir ainda mais daqui pra frente. Confiram. (Fonte: Social Times, via Blue Bus)

 

Duas brasileiras entre as 50 empresas mais inovadoras do mundo

Em post anterior (aqui), falei dessa matéria da Fast Company. E citei, inclusive, uma brasileira, a Boo-box. Mas passei batido por outra, a Bug Agentes Biológicos. Confiram na matéria do Portal ProXXIma.

Guaraná Antarctica lança carro movido a “Like” Continue lendo »

A notícia havia sido divulgada alguns meses atrás, mas depois foi desmentida. Agora, pelo jeito, é para valer, pois foi divulgado hoje pela comScore, líder mundial na mensuração do mundo digital e cuja metodologia é extremamente respeitada: o Facebook ultrapassou o Orkut no Brasil e tornou-se a rede social líder em nosso país. Segundo a empresa de pesquisas, em dezembro de 2011, o Facebook atraiu 36,1 milhões de visitantes originados do Brasil, o que representou um crescimento de 192% em doze meses.

A versão integral do press release, em inglês,  está disponível aqui.

Todo mundo publicou a notícia da chegada no Brasil do iTunes. A notícia, em si, já era meio marota, pois o iTunes, na medida em que é virtual, não chegou de verdade, apenas passou a estar disponível a partir do Brasil. Mas que era notícia, era. Então, valeu. Mas a notícia abaixo pode surpreender alguns: como o site apresenta os preços em dólar, isso infringiria a legislação brasileira. Confiram:

Preços do iTunes brasileiro em dólar ferem a legislação

A Amazon também chegou ao Brasil, trombetearam. Dessa vez, o buraco é um pouquinho mais embaixo. O que chegou ao Brasil foram data centers para operação dos serviços web. Explica-se: a Amazon tem três divisões: o comércio eletrônico, o serviço oferecido para terceiros venderem pelo site da Amazon e a de serviços web. No Brasil, o que chegou foi esse terceiro, que nada tem a ver com a popular, inclusive no Brasil, aquisição de livros pelo portal. Entendam melhor na matéria abaixo:

Amazon finalmente chega ao Brasil – mas só com serviços web

Uma vez, Mark Twain, comentando uma notícia sobre seu falecimento, disse: “as notícias sobre minha morte foram largamente exageradas”. Parece que ocorreu de novo, desta vez com o Orkut. Em setembro, espoucaram notícias sobre o “fato” de que, finalmente, o Facebook havia superado o Orkut no Brasil. Mas parece que ainda não foi desta vez, de acordo com estudo da Serasa Experian:

Orkut ainda é líder entre as redes sociais no Brasil, diz estudo

Não ia demorar! Vai estrear esta semana nos EUA o primeiro filme gravado totalmente com um smartphone. Para gravar “Olive”, o diretor Hooman Khalili usou um Nokia N8 com apenas uma adaptação: um câmera de 35 mm para dar profundidade. Leia mais:

Primeiro filme feito com smartphone estreia nos EUA

Não, não estamos falando do Orkut. Apesar do avanço do Facebook, principalmente entre os mais antenados, a rede “brasileira” do Google continua firme e forte, inclusive crescendo, embora sem a pujança de outrora. Nem estamos falando do Google+. Aparentemente, o modelo de negócio dela é diferente e estaria em planos de futuro para a gigante.

Há outras redes, como o Orkut, com sucesso localizado, como a Sonico, na Argentina, e, principalmente, a Weibo, chinesa. Também não estamos nos referindo a elas. Falamos das redes com vocações grandiosas e mundiais. MySpace, Friendster e Ning são os exemplos trazidos em um artigo do jeffbullas.com. O oxigênio delas, na imagem do Jeff, vem sendo retirado pelo Facebook. Continue lendo »

ProXXIma News:

Marca lança em parceria com o Google sua comunidade oficial na rede social

Não podemos ser hipócrita e deixar de dizer que o Facebook e o Twitter nos últimos tempos deixou o Orkut comendo poeira quando falamos de inovações. A Coca-Cola, em parceria com o Google, ainda aposta no Orkut e lança sua comunidade oficial na rede social. No canal, o usuário encontra conteúdos exclusivos. Além disso, os participantes podem baixar com exclusividade o skin “Os bons são maioria”, assinatura da campanha mais recente da marca, em comemoração pelos seus 125 anos. Um diferencial da comunidade da Coca-Cola é que pode ter seus conteúdos acessados por link externo, sem necessidade de perfil no Orkut. (Eduardo Mustafa)