O Twitter pode prever o futuro? Segundo o Pentágono, talvez

Twitter-World-357x200O “talvez” do título pode não ser muito emocionante, mas já é um avanço. Pelo menos, não se trata de um peremptório “não!”.  O fato é que o Departamento de Defesa dos Estados Unidos está buscando novas ferramentas computacionais para analisar as montanhas de textos não estruturados disponíveis, inclusive blogs e tweets, em um esforço coordenado para ajudar os analistas militares a prever o futuro e a tomar decisões mais rapidamente. Continue lendo em A Zona de Desconforto

Facebook lança a “Busca Social”, mas valor das ações cai quase 3% Continue lendo »

Apple: sinais de crise? E o caso da Sony, da Kodak, do Blackberry…

Algumas pessoas vão dizer que fiquei louco. Outros vão apenas me acusar de blasfêmia. Como assim, crise, em uma empresa que consegue colocar milhares de pessoas em uma fila para comprar um produto que não é muito mais do que uma atualização da versão anterior? Bem, talvez esse seja um dos sinais. Mas há outros. E todos podem ser resumidos em uma palavra: hubris. Esseconceito grego significa confiança excessiva, orgulho exagerado, presunção, arrogância, insolência – e era inevitavelmente punido pelos deuses! Continue lendo em A Zona de Desconforto

Por que as empresas precisam estar preparadas para enfrentar críticas online Continue lendo »

Fiz questão de traduzir o artigo abaixo, do site GetElastic, especializado em ecommerce, e publicá-lo por duas razões. Em primeiro lugar, o tema não é tão comum. De um lado, os especialistas em ecommerce parecem só ter olhos para SEO e mídias sociais. Do outro, há poucos especialistas em programas de fidelidade que pularam o fosso entre offline e online; a maioria refugia-se no conforto de seu mundo “real” e no máximo traduziram seus newsletter impressos para email marketing.

A outra razão é porque a autora, Linda Bustos, diretora de pesquisas para ecommerce na Elastic Path, cuja foto publiquei ao lado, tentou ser o mais simples e prática possível, trabalhando sobre exemplos concretos e ao alcance de qualquer varejo eletrônico, mesmo os menores. O ponto de partida de seu artigo é que o comprador online de hoje em dia é particularmente hábil em comparações. Por isso, programas de fidelidade e de incentivo são mais importantes do que nunca. Eis as ideias da Linda. Continue lendo »