Google lança programa para TV paga nos EUA

O Google é o próximo concorrente de operadoras como a Time Warner Cable nos EUA, afirma o The Wall Street Journal. A empresa já solicitou licenças para operar TV por assinatura numa cidade do Kansas e um programa piloto deve ser oferecido junto com o serviço de banda larga do Google, baseado em fibra óptica, o Google Fiber. O Google também pediu licença para o estado de Missouri. Leia a matéria no Meio & Mensagem.

Até a Copa, 90% das TVs feitas no Brasil serão interativas

A notícia pode ser lida de várias maneiras (todas as notícias, aliás). Com o título acima, a matéria do Adnews dá um viés positivo, anunciando que, em 2013, “pelo menos 75% da produção deverão contar com o recurso, como determina portaria assinada na última quinta-feira, 23, pelos ministros da Ciência e Tecnologia e do Desenvolvimento”. Já a matéria do Meio & Mensagem, oferece o viés negativo: “Com a portaria, o governo deixa de exigir que os fabricantes de TV incorporem o DTVi este ano e passa a exigir isso a partir de 2013, quando o percentual de televisores com telas planas produzidos no País, já com DTVi, deverá ser de 75% da produção total e de 100% quando se tratar de aparelhos conectados.”

Gemalto recebe o Prêmio Cloud 2012 por inovação em segurança

A Gemalto ganhou o prêmio de Inovação em Segurança no programa inaugural Cloud Awards de 2012. A Gemalto foi reconhecida por seu Serviço de Autenticação Forte Protiva, uma plataforma de autenticação forte que permite o acesso seguro a recursos e aplicações em nuvem. Este serviço oferece um conjunto completo de recursos de segurança, inclusive controle de acesso, criptografia de dados e autenticação versátil, fazendo com que a transição para a computação em nuvem seja simples e eficiente em termos de custos. O programa de premiação anual de computação em nuvem, julgado por um painel de jurados especialistas do setor e aberto internacionalmente, celebra os líderes do setor e pioneiros no campo da computação em nuvem. Para mais informações, acesse http://www.gemalto.com.br, www.justaskgemalto.com.br, blog.gemalto.com, ou siga @gemaltolatam no Twitter. (Fonte: IMS Marketing)

Meio & Mensagem:

A medida provisória (MP) que regulamenta a produção de tablets no País deverá ser publicada ainda esta semana, disse o ministro da Ciência e Tecnologia, Aloizio Mercadante, nesta segunda-feira, 16. Segundo ele, a MP vai definir também quais componentes dos aparelhos deverão ser produzidos no Brasil, e dará aos fabricantes as mesmas isenções fiscais concedidas aos de notebooks e laptops atualmente.

“Nós não queremos ser simplesmente um montador de tablets. Nós queremos produzir desde os insumos até o display, que é a tela final. O Brasil não concederá visto de entrada para uma indústria que não seja formada basicamente por trabalhadores brasileiros”, afirmou Mercadante após participar de uma audiência pública na Assembleia Legislativa de São Paulo.

Ele declarou que a fabricante do iPad, Foxconn, de Taiwan, assumiu o compromisso de instalar uma fábrica de produção de tablets no Brasil e investir US$ 12 bilhões (cerca de R$ 19,6 bilhões) em cinco anos. A promessa teria sido feita em carta enviada à própria presidente brasileira, Dilma Rousseff.

Já nesta terça feira, 17, o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, afirmou que o conjunto de medidas de desoneração de tablets vai reduzir em 36% os preços desse tipo de equipamento – sem contar a redução de ICMS, que ficará a cargo de cada estado.

Com as medidas, deverá haver isenção completa de PIS/Cofins, que hoje é de 9,25%, redução de IPI (de 15% para 3%) e de imposto de importação, também variando de acordo com os governos locais.

Mercadante dissera que a Foxconn tem a intenção de antecipar de novembro para julho deste ano a produção de iPhones e iPads no País. Para a produção inicial, 200 engenheiros serão enviados para treinamento em Taiwan. Ainda segundo o ministro da Ciência e Tecnologia, não está definido o local em que será instalada a fábrica da empresa, e outras comopanhias já teriam comunicado a intenção de produzir tablets no Brasil, entre elas a Semp Toshiba, a Samsung e a Motorola.

(com Agência Brasil)