Google investe seriamente na indústria de robots

convite dia dos micros na pop up vertices casa_lau

Não perca o evento Microrroteiros do Fim do Mundo II. Leia detalhes abaixo

Na mesma semana em que a Amazon revelou planos de dominação do serviço de entrega por drones, apareceu a notícia de que o Google está levando a sério a ideia de revolucionar a indústria de robótica. Ao longo dos últimos seis meses, a gigante de Mountain View adquiriu sete empresas de tecnologia com o objetivo de desenvolver a próxima geração de robôs. O líder da empreitada é Andy Rubin, o engenheiro responsável pelo desenvolvimento do Android. O Google não pretende divulgar detalhes, mas o The New York Times especula que o esforço esteja voltado para a criação de robótica para o setor industrial e não para o dia a dia dos consumidores. Especialistas dizem que a tecnologia poderia ser usada para automatizar partes de cadeias de abastecimento existentes, tais como as operações de montagem de eletrônicos ou de chão de fábrica. Alguns especulam que a tecnologia poderia eventualmente ser implantada para automatizar parte do seu serviço de entrega em domicílio. De acordo com Rubin, há inúmeras oportunidades para automatizar ainda mais os setores de logística e manufatura. Fonte: Entrepreneur (via Portal Abemd)

Mutirão de histórias na Vila Madalena prepara o fim do mundo (de novo!) Continue lendo »

Virada Cultural de SP terá improvisação poética

Colagem de microrroteiros nas ruas de Guarulho: intervenção com alunos de escola pública

A gente já falou aqui antes de Laura Guimarães e seus microrroteiros. A artista realiza intervenções no quotidiano da cidade, colando “lambes” com textos poéticos de até 14o caracteres — do twitter para a rua! Neste final de semana, Laura participa da Virada Cultural. Ela estará no Sesc Belenzinho, começando às 18 horas do sábado. 18, e indo até as 6 horas da madrugada do domingo, 19/5.O Sesc Belenzinho fica na Rua Padre Adelino, 1.000, Belenzinho, São Paulo – SP. Telefone: 11 2076-9700. Continue lendo em A Zona de Desconforto

Ibope se une ao youPIX para estudar o comportamento digital do jovem brasileiro Continue lendo »

Estudo mostra que vendas em lojas virtuais têm relação direta com meios de pagamento

Um estudo realizado pela CyberSource Corp identificou que lojas virtuais que fornecem quatro ou mais métodos de pagamento têm uma taxa de conversão de vendas 12% maior que aquelas que oferecem apenas uma opção de pagamento. Continue lendo em A Zona de Desconforto

Fifa “atrapalha” Globo e Copa das Confederações fica sem plano comercial Continue lendo »

Governo americano encerrou investigação antitruste contra o Google

FTC-GoogleA FTC , Comissão de Comércio Federal, órgão do governo americano, ordenou ao Google na quinta-feira que evite uso indevido de suas patentes em tecnologia celular, mas também declarou que a empresa não tinha violado leis antitruste ou de anticoncorrenciais pela forma como está estruturada sua aplicação de busca na web. Continue lendo em A Zona de Desconforto

6 dicas para usar o Instagram como ferramenta de marketing Continue lendo »

Neste Natal, presenteie fora de sua zona de conforto

microrroteirosVamos começar com uma sugestão aparentemente simples, mas com enorme força artística: um microrroteiro. São histórias de vida, em no máximo 140 caracteres e que vêm convidando as pessoas com quem entra em contato a sair de suas zonas de conforto e imaginar.O projeto é da multiartista Laura Guimarães e pode ser visto em postes e pontos de ônibus de São Paulo e algumas outras cidades. Também pode ser visto em alguns Sesc, onde Laura tem feito intervenções. E nas paredes dos fãs da artista, que estão adquirindo as peças e enquadrando-as. Os textos são dispostos como na foto ao lado, em quatro opções de cores: rosa, amarelo, laranja e verde, e pode ser comprado no formato simples – lambe-lambe colorido com o texto – ou na moldura/prancheta. Os preços são os seguintes: microrroteiro simples – R$40,00, microrroteiro com moldura/prancheta – R$50,00, microrroteiro simples, criado a partir da sua história – R$80,00, microrroteiro com moldura/prancheta criado a partir da sua história: R$90,00. Outro detalhe: ao adquirir um microrroteiro, você também estará contribuindo para a intervenção Microrroteiros do Fim do Mundo, na qual serão espalhadas  pela cidade somente microrroteiros inspirados em boas histórias, neste final de ano. Entre em contato com a beatriz@klaxon.art.br e presenteie com microrroteiros. Veja outras sugestões em A Zona de Desconforto

Confira tudo o que bombou no Twitter em 2012 Continue lendo »

Um koan (公案; japonês: kōan, chinês: gōng-àn, coreano: gong’an, vietnamita: công án) é uma narrativa, diálogo, questão ou afirmação no Zen-Budismo que contém aspectos que são inacessíves à razão. O koan tem como objetivo propiciar a iluminação do aspirante a zen-budista. Um koan famoso é: “Batendo duas mãos uma na outra temos um som; qual é o som de uma mão?” (tradição oral, atribuida a Hakuin Ekaku, 1686-1769). Fonte: Wikipedia

Programa de fidelidade: ou é ganha-ganha ou é perde-perde

Não tem meio-termo: um programa de fidelidade precisa ser (e parecer) mutuamente benéfico para a empresa e para o consumidor. De outra forma, vai perdendo relevância, importância, sentido. Segundo um artigo recente, escrito por Paul Hebert para o blog Active Loyalty, “fidelidade é uma coisa engraçada. Pensamos que pode ser comprada. Pensamos que pode ser manipulada. Pensamos que é o que eles “querem”. Mas não é nenhuma dessas coisas. Fidelidade tem a ver com um relacionamento que é mutuamente benéfico.” Concordo inteiramente com o autor quando ele diz que, atualmente, esquecemos a parte do “mutuamente benéfico”.  Continue lendo »

Microrroteiros do Fim do Mundo: não vai ficar pedra sobre pedra

No começo do ano, eu juraria que o tema fim do mundo seria mais explorado. Felizmente não foi. E sobrou espaço para que aparecessem algumas ideias realmente boas. A mais recente é a Microrroteiros do Fim do Mundo, da artista multiplataforma Laura Guimarães. Trata-se, na verdade, de um desdobramento do projeto Microrroteiros da Cidade, que pretende brincar com a proximidade desta data “tão temida”, 21 de dezembro de 2012. Até o final do ano, a artista vai promover uma TROCA DE HISTÓRIAS nas ruas de São Paulo. Ela pretende convidar cerca de 60 pessoas de diferentes regiões da cidade para contarem uma história da sua vida que poderia ser a última. Daquelas tão marcantes, que “o mundo poderia acabar no dia seguinte”. Em troca, esses criadores vaão ganhar um “lambe-lambe” com um dos seus microrroteiros. A ideia é mais ambiciosa: junto a esses lambe-lambes, Laura pretende colocar aparelhos de mp3s com fones de ouvido com o áudio de cada uma das entrevistas. A dimensão do projeto dependerá da capacidade de arregimentação de financiadores, pois o projeto é do tipo crowdsourcing (veja a matéria abaixo): para realizar a exposição, a artista e a produtora Klaxon Cultura Audiovisual idealizaram uma proposta de financiamento coletivo por meio da venda de microrroteiros. O valor mínimo que precisam alcançar é R$4.500,00 – uma exposição simples, com intervenção nas ruas, mas sem o áudio das histórias. A partir daí, os novos investimentos contribuirão para uma exposição maior, mais rica em microrroteiros, com os áudios das histórias e tudo mais. Saiba mais (e participe!) no blog criado pela produção do projeto

Trend Briefing: por que o envolvimento de consumidores com produtos e serviços antes do lançamento está se tornando cada vez mais comum? Continue lendo »

Como já disse o Caetano, São Paulo tem poesia concreta pelas esquinas. E pelos postes, poderia acrescentar Laura Guimarães. A roteirista e cineastra criou em 2009 a ideia de transformar o olhar sobre o quotidiano, o enxergar as pequenas coisa que nos cerca, em poesia contemporânea vivida, que ela chama de microrroteiros. São microhistórias deliciosas, em até 140 caracteres, para caber no Twitter, que ela compartilha no mundo virtual e também no mundo real, colando-os em postes e pontos de ônibus (vejam o video abaixo). E agora a proposta ganhou um espaço mais “nobre”: o Sesc da Avenida Paulista. A novidade é que a autora estará todos os dias lá, das 11 às 17 horas, coletando as histórias do público que passa pela avenida mais famosa da cidade e transformando-os em microrroteiros. Experimentem.

<p><a href=”http://vimeo.com/14234896″>no passo do roteiro</a> from <a href=”http://vimeo.com/belmerces”>Bel Merc&ecirc;s</a> on <a href=”http://vimeo.com”>Vimeo</a&gt;.</p> Continue lendo »

(Os ortodoxos que me perdoem, mas a corujice falou mais alto. O artigo abaixo, do Rodolfo Lucena, colunista da Folha, e que saiu no jornal de domingo, é sobre o maravilhoso trabalho de minha filha Laura.)

Pensei que fossem poemas, retalhos de poesia, quando vi pela primeira vez os pequenos textos impressos em papel colorido e colados em pontos de ônibus da zona oeste de São Paulo. Mas não. “São microrroteiros”, corrige a criadora dessas historinhas, Laura Guimarães, 34, figura miúda de cabelos pretos encaracolados. Continue lendo »

(reproduzido do site do Agora)

Leonardo Luís
do Agora

Quem anda por São Paulo e é flagrado pela roteirista Laura Guimarães, 32 anos, pode ter uma cena de sua vida retratada em postes e pontos de ônibus de bairros como Pinheiros, Jardins e Santana ou da região central da cidade.

Formada em cinema pela Faap (Fundação Armando Álvares Penteado), ela se inspira no cotidiano dos paulistanos para elaborar o que chama de “microrroteiros”: pequenos textos que descrevem situações comuns e sugerem o começo de uma história que poderia ser de qualquer um. Depois, Laura passa suas criações para papéis de cores chamativas e os cola pelas ruas.

Suas ideias também podem ser conferidas em seu perfil no Twitter (twitter.com/nopassodroteiro). “De uniforme azul, ela varria as folhas da árvore que caiam na calçada. Todos os dias no mesmo horário. Todos os dias, ele passava e sorria”, escreveu, ao observar uma mulher que varria a calçada. Para a colagem, Laura conta com a ajuda de cerca de dez amigos.

  • Leia esta reportagem completa na edição impressa do Agora nesta terça, 21 de setembro, nas bancas