“Transformação digital” é um dos temas mais quentes do momento. Se você der uma “googlada”, vai encontrar milhares de referências, centenas de artigos e até eventos grandiosos debatendo o assunto.  Leia o resto deste post »

Zuckerberg 2020?

17/01/2017

A imagem pode conter: 4 pessoas, pessoas sentadas

Mark visitou Dallas nesta segunda, 16/1, e reuniu-se com vários grupos de cidadãos, inclusive policiais

Alguns sinais indicam que o CEO do Facebook pretende candidatar-se a presidente dos EUA — e muita gente acha que ele vai ganhar
Segundo Nick Bilton, correspondente especial da revista Vanity Fair para assuntos ligados ao Silicon Valley, a semana passada foi “louca e bizarra” como poucas na história dos EUA — teve a história do dossiê sobre Trump vazada pelo site BuzzFeed e a própria conferência de imprensa do presidente-eleito. Para coroar, ele trouxe uma história que começou a circular entre pessoas influentes das empresas de tecnologia do Vale, envolvendo Mark Zuckerberg. Um número crescente dessas pessoas acredita que, provavelmente, o CEO do Facebook concorrerá a presidente dos EUA nas próximas eleições. E, considerando o resultado da que acabou de ocorrer, ele deve ganhar. “Ele quer ser imperador” é uma frase que teria se tornado comum entre as pessoas mais íntimas de Zuckerberg, contou Bilton. E há alguns sinais de que isso passa pela presidência do país. No final do ano, Zuckerberg respondeu uma pergunta sobre seu ateu, uma crença que professava, em um tom, digamos assim, mais politicamente astuto (considerando que os americanos não gostam de presidentes que não acreditar em algum Deus): “eu cresci judeu e então passei por um período em que questionei as coisas, mas agora acredito que religião é muito importante”. Mais recentemente, David Plouffe, ex-diretor da campanha do Obama, assumiu um posto importante na Chan Zuckergbert Initiative. Outros políticos dos dois partidos também juntaram-se à organização filantrópica. O sinal mais óbvio, entretanto, veio nas Resoluções de Ano Novo, que Mark costuma publicar em sua página no Facebook. Este ano, além de regozijar-se pelo fato de ter vencido os desafios de aprender mandarim e construir um “mordomo” em inteligência artificial para sua casa, ele prometeu “conhecer pessoas em todos os estados dos EUA”. Apenas vontade de viajar? Fonte: Vanity Fair

Samsung/Sapient Razorfish estão levando a Internet das Coisas para o varejo
O National Retail Federation Big Show começou nesta segunda, 16/1, em Nova York. Com toda certeza, um dos pontos altos do evento será a apresentação de ferramentas IoT da Samsung e da SapientRazorfish que têm como objetivo conectar as atividades de compra online com as realizadas na lojas. Incorporando IoT, data analytics e tecnologias móveis, as empresas estão demonstrando uma jornada do consumidor dentro de uma loja de vestuário com sincronização ao sistemas de back office. Em um dos exemplos, o comprador faz um pedido em casa, usando um app e quando entra loja o app dispara um beacon em um grande painel digital que mostra conteúdo personaliado baseado em compras anteriores e sugere itens que podem ser adquiridos via touch screen. Além disso, uma loja parceira é avisada e pode abordar o consumidor. Caso necessário, o atendimento é acionado por um botão de “help”. Fonte: MediaPost/IoT Daily Pay

Assistentes virtuais vão oferecer dados de campanha para anunciantes

O Google lançou um app para smartphones que se conecta com seu assistente virtual, Home, e ajuda os anunciantes a otimizar buscas por voz. Analistas acreditam que o próximo passo será disponibilizar dados para analisar e otimizar campanhas multicanal. Este ano, afirma Alex Porter, presidente e chief strategy officer da agência Location3 Media, mensurar dados de voz vão se tornar um recurso do Google Analytics e do Search Console. Os dados poderão otimizar estratécias de SEO e permitir que as empresas integrem buscas pagas, ganhando uma perspectiva diferente sobre como o conteúdo é mais bem servido para responder questões. O formato dos dados e como os anunciantes acessarão esses dados, porém, não estão claros. Fonte: MediaPost/Search Daily