Adnews:

A nona edição do estudo  F/Radar, realizado semestralmente e divulgado nesta segunda-feira, constata que 51% dos brasileiros com mais de 16 anos acessam a internet. O número é apenas 4 pontos maior que o constatado em março de 2008, com margem de erro de 2 pontos percentuais para mais ou menos. Isto é, o avanço foi tímido.

No mesmo período, a posse de banda larga doméstica saltou de 12% para 31% da população, o que indica melhoria na qualidade da navegação entre aqueles que já se conectavam à rede. O fenômeno, porém, ainda se restringe aos mais ricos. Nas classes AB, 62% têm internet rápida na própria residência, enquanto que na classe C, 22%, e nas classes DE, somente 4%.
Acesse a pesquisa completa no site da F/Nazca: http://virou.gr/pi4DpA ou no canal da agência no slideshare: http://virou.gr/pZovdv

Saiu a sétima edição do F/Radar, um levantamento semestral que a F/Nazca realiza para quantificar o número de brasileiros que acessam a internet, considerando os locais e períodos de acesso, navegação, compras online, transversalidade das mídias e consumo de notícias. Nesta edição, explora-se pela primeira vez o universo dos jogos eletrônicos.

Eis alguns destaques do estudo:

– O país tem hoje 54% de pessoas acima de 12 anos que costumam acessar a Internet (ou 81,3 milhões).

– A penetração em casa segue em patamares baixos: apenas 27% dos brasileiros possuem conexão com banda larga em casa e 6% com conexão discada.

– 57% dos brasileiros afirmam que “costumam colocar algum conteúdo feito por si próprio na Internet”

– 93% dos brasileiros se consideram mais informados e 60% mais independentes desde que começaram a usar a Internet.

– A única mídia de informação que mantém relevância estável em todas as faixas etárias são as ferramentas de busca, como o Google, mantendo-se em torno de 50% para todas as faixas etárias.

– Embora a televisão continue sendo a mídia de consumo de informação preferida (45%), seguida pela Internet (40%), pelo rádio (7%), pelo jornal impresso (4%) e pela revista (2%), os jovens de 12 a 24 anos se informam prioritariamente nas suas redes sociais (80% entre 12 e 15 anos, 60% entre 16 e 24 anos) e nas ferramentas de busca (55% de 12 a 15 anos e 52% entre 16 e 24 anos).

– Os portais, sites de mídia impressa e blogs só possuem relevância para os mais velhos.

– A pesquisa compreende todos os brasileiros acima de 12 anos, em 143 municípios e é realizada pelo Datafolha.

Leia o release publicado pela agência aqui.