estdão cannesInscrição já estão abertas
Continue lendo »

Cartões de crédito

Confira abaixo os melhores e os piores cartões de crédito para acumular pontos

Plataforma digital propõe discussão para que mulheres tenham mais representatividade nas homenagens dos espaços urbanos de São Paulo
Continue lendo »

Loja virtual que mandou cliente “procurar um macho” comemora sucesso e diz que teve lucro absurdo

Lembram do caso? Em 10 de setembro, um mês atrás, portanto, um blog do Estadão denunciou o tratamento que uma consumidora, por acaso jornalista, havia recebido da loja virtual Visou. Ao fazer uma reclamação no perfil da loja no Facebook por não haver recebido um produto no prazo estipulado, recebeu a seguinte resposta: “Sua vagabundinha de merda. Domingo à noite e você na internet? Não tem um macho pra te comer não? Seu lixo”. Outras clientes disseram que também foram tratadas de maneira truculenta, própria de adolescentes que não gostam de ser contrariados. Bem,a coisa não para por aqui. O blog entrou em contato com os donos da marca, Natasha Souto e Richard Ferrari, para solicitar uma entrevista e recebeu as mensagens que estão ao lado. Em resumo: tratar mal os clientes parece que dá certo. Pelo menos se você visa aquela parcela de público que morre de rir com Danilo Gentili, Rafinha Bastos et caterva. O que você acha? Leia a matéria completa no Curiocidade.

Nikon une-se à ONU para premiar desenhos de crianças do mundo inteiro sobre o tema “Comunidade Verde” Continue lendo »

Para começar a semana, uma questão que vem de Cannes: as áreas de Direct e de Promo tendem a virar a mesma coisa? Pelo menos, em termos de concorrer ao cobiçado prêmio, parece que há uma tendência para se inscrever mesmas peças e campanhas nas duas categorias. Em minha opinião, porém, a diferença é grande. E a prova está exatamente no fato de que essas peças, algumas vencedoras na categoria Direct em Cannes, não são inscritas no nosso brasileiríssimo Prêmio Abemd, nem no Echo, da DMA. Os critérios são diferentes (e, falando como coordenador do Prêmio Abemd, arrisco a dizer que somos mais rígidos na questão resultados). Mas vamos à sequência de matérias  sobre o assunto. Continue lendo »

Sou um leitor assíduo do Observatório da Imprensa, site criado por Alberto Dines, onde se discute “o papel dos jornais”, título de um livro do renomado jornalista, e também o papel das revistas, das rádios, das TVs, da Internet, etc. O site tem edições semanais, embora todo o seu conteúdo seja facilmente “buscável”. Na edição desta semana, de número 694, há três artigos que gostaria de compartilhar com vocês. O artigo do professor e jornalista Carlos Castilho (já compartilhei outros conteúdos dele neste blog) fala do dilema que o Facebook pós-IPO vive: conciliar os interesses de usuários e investidores. O artigo do Sergio da Motta e Albuquerque fala da Salamworld, uma rede social que pretende ser uma alternativa ao Facebook e abocanhar em três anos cerca de 50 milhões de usuários em diversos países do mundo islâmico. O terceiro artigo é na verdade a transcrição do programa que o OI tem em algumas rádios do Rio, Brasília e BH. Escrito por Luciano Martins Costa, fala sobre a abertura de todos os arquivos digitais do jornal O Estado de S. Paulo, o maior acervo de informações jornalísticas a ser lançado na internet brasileira. Confiram. Continue lendo »

Até o ano passado, parecia não haver vida publicitária fora do Google. Seria uma questão de tempo, na opinião de alguns, para que tudo se resumisse à gigante de buscas. Bastaria uma boa campanha de adwords para que nossos problemas de comunicação de marketing terminassem. Mas a vida é mais complexa do que sonha nossa vão estratégia de SEO.

Por um lado, surgiu o Facebook, também querendo circunscrever a realidade. Do outro, vieram as próprias dores do crescimento do Google. Lorraine Twohill, vice-presidente de marketing global da empresa, resumiu o dilema: “À medida que crescemos, tivemos mais concorrência, mais produtos, mais mensagens para os consumidores, de modo que precisamos nos empenhar um pouco mais para comunicar o que são esses produtos e como você pode usá-los”.

Em outras palavras, o Google sentiu necessidade de usar outros canais, até os mais tradicionais, como campanhas de TV, para promover sua marca, sua história seus produtos. O Estadão publicou ontem, 8/1, um artigo do New York Times, que conta em detalhes o que o Google está fazendo na mídia tradicional. Vale a pena conferir.

Google invade a mídia tradicional

Fonte: http://www.advivo.com.br

O Google, o Facebook, a Wikipedia, o Yahoo, Twitter e outros dos sites de maior audiência da internet podem interromper seus serviços como uma forma de protesto. A notícia, que ganhou força na web nas últimas horas, explica que a decisão seria uma maneira desses portais manifestarem seu descontentamento com a lei antipirataria S.O.P.A (sigla de Stop Online Piracy Act), que está em discussão no Senado norte-americano. Leia a matéria completa. Continue lendo »

ProXXIma News:

App traz informações culturais sobre mais de dois mil estabelecimentos de São Paulo e faz integração com Twitter, Fousquare e Facebook

O Estadão lançou nesta quinta-feira, 12, o aplicativo para Android e iOS do caderno Divirta-se. Publicado a cada sexta-feira, o caderno indica as novidades culturais do final de semana.

Gratuito, o app traz informações culturais sobre mais de dois mil estabelecimentos da cidade de São Paulo e faz integração com Twitter, Fousquare e Facebook.

A tela inicial conta com destaques nas categorias Balada, Cinema, Teatro, Passeios, entre outros. Entre as funcionalidades da ferramenta está a opção de realizar check-in no Foursquare direto do aplicativo, bem como twittar sobre, compartilhar informações por e-mail ou avaliar estabelecimentos e dicas culturais.

O serviço também indica opções próximas do usuário, exibe os tópicos mais comentados e mais buscados. Além disso, ao descobrir um evento novo ou um lugar que o caderno desconhece é possível entrar em contato com os moderadores e informar a novidade.