A Internet das Coisas está ficando menor. Mas isso não é ruim, sabia?

25/12/2018

Fala-se muito em Internet das Coisas, mas agora está na hora de levar essa tecnologia ao próximo nível – ou, mais precisamente, a um nível menor, com a Internet das Nanocoisas. Em artigo para a IoT Agenda, do site TechTarget, Saumya Sharma, pesquisadora da IBM e membro do IEEE, explicou os usos e benefícios da IoNT.

A Internet das nano-coisas não é muito diferente da IoT, exceto no sentido de que os dispositivos interconectados dentro da IoNT são tão pequenos a ponto de precisarem ser medidos em nanoescala, que vai de 0,1 a 100 nanômetros – com um nanômetro medindo um bilionésimo de metro. Para referência, o site Nano.gov fez alguns cálculos: uma folha de papel tem 100.000 nanômetros de espessura, existem 25,4 milhões de nanômetros em uma polegada, e o DNA tem 2,5 nanômetros de diâmetro.

A maioria das tecnologias atualmente em uso – como sensores em carros e residências que relatam condições ambientais, ou acelerômetros e giroscópios em smartphones que ajudam as pessoas a usar serviços de navegação ou localização – são exemplos de dispositivos muito pequenos que podem ser miniaturizados ainda mais para caber dentro de volumes muito, muito, muito menores. Quase toda a automação moderna depende de dispositivos em nanoescala que podem se comunicar uns com os outros, a fim de fornecer opções técnicas mais inteligentes. Essas integrações técnicas impulsionarão a inovação em todos os espaços imagináveis, desde a indústria automotiva até o setor de saúde, bem como produtos domésticos de uso diário.

A eletrônica da internet das nanocoisas não é apenas sofisticada em termos de design e fabricação, mas precisa estar extremamente bem embalada para proteger os dispositivos contra interferências indesejadas. A interferência é particularmente difícil de gerenciar por causa dos métodos eletromagnéticos que permitem que esses dispositivos se comuniquem uns com os outros sem fio.

Os tipos de nanotecnologias que estão sendo integrados em um sistema IoNT são altamente específicos para cada aplicação. Por exemplo, uma fábrica inteligente empregará dispositivos IoNT para monitorar a temperatura, a umidade, os gases gasosos, a qualidade da água e talvez as emissões de carbono da exaustão dos sistemas. Em outro exemplo, veículos conectados com sensores miniaturizados semelhantes podem prever proximidade, condições ambientais e informações de localização para ajudar a garantir a segurança e a precisão dos sistemas de assistência ao veículo.

Por outro lado, em uma aplicação de cidade inteligente com nanodispositivos interconectados, os tipos de tecnologias integradas poderiam ser responsáveis ​​por monitorar concentrações de gases tóxicos ou partículas, com dispositivos plantados em diferentes locais da cidade para monitorar os níveis de poluição para manter a saúde e segurança dos moradores da região.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: