Estudo: medidas tomadas para IA oferecer mais valor ao marketing

13/12/2018

Resultado de imagem para ai valueMaior preocupação com segurança através de validação, monitoramento e verificaçãoEsta é a segunda parte desta nota sobre o estudo da PwC sobre como as empresa veem a inteligência artificial e como estão atuando para absorver a nova tecnologia. A pesquisa apontou várias medidas que as empresas estão tomando para garantir que, em 2019, estejam em operação sistemas de IA confiáveis, justos e estáveis: 64% – Impulsionar a segurança da IA com validação, monitoramento e verificação; 61% – Criar modelos de IA transparentes, explicáveis e prováveis; 55% – Criar sistemas que sejam éticos, compreensíveis e legais; 52% – Melhorar a governança com modelos e processos operacionais de IA; 47% – Aplicar teste de viés em dados, uso humano de algoritmos; 3% – não tem planos para resolver esses problemas de inteligência artificial. A inteligência artificial vai desempenhar um papel significativo nos negócios daqui para frente. Mais de um terço (37%) dos executivos do estudo da PwC afirmaram que garantir que os sistemas de IA eram confiáveis era sua principal prioridade. Fonte: MediaPost Connected Thinking

Facebook busca talentos blockchain para cinco novas posições da empresa
O Facebook listou cinco novos empregos relacionados a blockchain em sua página de carreiras nas últimas três semanas, dois dos quais foram listados pela primeira vez em 5 e 6 de dezembro. As vagas atualmente abertas para os candidatos são duas funções de engenheiro de software, um posto de cientista de dados e um engenheiro de dados – todas funções de tempo integral na sede da empresa em Menlo Park, Califórnia. Na descrição do trabalho para o engenheiro de blockchain da equipe de Engenharia de Dados do Blockchain do Facebook, o anúncio caracteriza a posição como um trabalho “tecnicamente” e “desafiador do ponto de vista intelectual”, que “terá um enorme impacto global”.A função mais recentemente listada – Product Marketing Lead para a equipe blockchain do Facebook – destaca que a equipe é “fundamental” para a “missão” da empresa de resolver problemas e construir comunidades, e especificamente “explorar a oportunidade que o blockchain traz”. Fonte: CoinTelegraph

Thomson Reuters : Internet das Coisas e Blockchain são as tecnologias mais atraentes às empresas brasileiras
Ao passo em que o mercado se ambienta à frequente oferta de tecnologias inovadoras, cresce também o interesse das empresas quanto ao que estas podem oferecer aos seus nichos de trabalho. Para entender um pouco melhor como as companhias no Brasil estão vendo este movimento, a Thomson Reuters, provedora líder mundial de informação e tecnologia, acionou sua extensa base de decisores corporativos e, em parceria com universidade especializada em cursos voltados a negócios, a Live University, ouviu mais de 300 profissionais em posições de liderança e especialistas para mapear o que eles esperam e o que os preocupa na adoção das novas tecnologias dentro do ambiente corporativo.  O levantamento perguntou quais as tecnologias que lhes eram mais atraentes, permitindo a múltipla escolha. A Internet Das Coisas foi lembrada por 31,3% dos entrevistados, seguida por Blockchain (30,9%), Data Science (29,8%) e Inteligência Artificial/Machine Learning (29,2%). Destaque para a posição baixa das criptomoedas neste ranking, lembrada apenas por 1,9% dos participantes da pesquisa.  Dentre os principais motivos para adotar uma destas inovações, as razões mais apontadas foram: aumento da eficiência do trabalho (27%), melhoraria da governança e compliance (20%), padronização de processos (19%), redução do risco de fraudes (18%) e aumento da competitividade (15%). No que tange ao futuro do trabalho e  sua relação com as novas tecnologias, a pesquisa traz destaques interessantes: 83% dos entrevistados acreditam que, graças a estas inovações, surgirão novas funções nas áreas em que atuam,  97% acreditam que elas irão otimizar ou no mínimo modificar a maneira de se trabalhar e 42% buscarão aumentar os investimentos na área de tecnologia, enquanto outros 34% pretendem manter os recursos atuais. O levantamento também destaca que 40% dos entrevistados apontaram que ou já usam em sua plenitude as tecnologias disponíveis ao seu setor de atuação ou usam em algumas áreas e pretendem ampliar a adoção. Outros 15% ainda não usam novas tecnologias, mas possuem projetos de curto prazo para implantá-las. Apenas 3% afirmaram que não usam e nem pretendem utilizar essas novas ferramentas. Para 90% dos entrevistados, a adoção de tecnologias inovadoras é positivo e traz benefícios. Contudo apenas 17% acreditam que seus profissionais estão prontos para utilizá-las. “O bloco composto por IoT, Blockchain, Data Science, A.I e Machine Learning é a grande aposta da alta gestão para impulsionamento do desenvolvimento de suas empresas. Com a maior parte dos decisores otimistas quanto ao cenário mundial, e confiantes que o cenário brasileiro pode melhorar a partir de 2019, um cenário propício para implementação de novas tecnologias vai, aos poucos, se delineando”, analisa Alex Leite Diretor Educacional da Live University Confeb.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: