Marketing Best Sustentabilidade premiou empresas e instituições

22/10/2016

Ganharam o troféu marcas como AACD, Apae, ESPM, Instituto Net Claro Embratel e JBS-Friboi

O auditório Philip Kotler, no prédio da ESPM, em São Paulo, foi o palco para a entrega dos prêmios aos vencedores da 15ª edição do Marketing Best Sustentabilidade, na noite desta terça-feira (18). Iniciativa da Editora Referência e MadiaMundoMarketing, o prêmio tem apoio da Abramark (Academia Brasileira de Marketing) e da agência Rae,MP. Apresentado pela jornalista Elisângela Peres, o prêmio tem como objetivo estimular e disseminar os melhores exemplos de empresas, fundações, institutos e associações que atuam na promoção e demonstração prática de valores e princípios da sustentabilidade. O Marketing Best Sustentabilidade já se tornou uma referência no contexto corporativo brasileiro. A edição deste ano premiou nove cases. A AACD ganhou com o projeto “Crise no Brasil e o impacto no terceiro setor”; a Apae/SP com “Defendendo direitos e enfrentando a violência- campanha sobre os maus-tratos”; a Associação Viva e Deixe Viver com o case “18 anos- mais de 1 milhão de histórias”; a ESPM com “Educação e empreendedorismo transformando a sociedade”; o Instituto Net Claro Embratel com “Net educação”; o Instituto Remo Meu Rumo com  “Remar é muito mais que um esporte”; a JBS-Friboi foi distinguida com os cases “Chefs Especiais” e “Confiança do início ao fim”; e a Plano Digital com “Estou refugiado”. Além disso, a fundadora da APAE, Jô Clemente, foi a escolhida Cidadã Sustentabilidade deste ano. Há 55 anos Dona Jô se dedica à inclusão social e à busca incessante pela dignidade, que concedeu a milhares de pessoas com deficiência intelectual, através de seu incrível projeto. Fonte: Propmark

Quatro regras para fazer campanhas com influenciadores
De acordo com um estudo da Ipsos, 95% dos profissionais de branding acreditam que é importante a interação entre marcas e influenciadores digitais, basicamente pessoas com muitos seguidores e que conseguem repercussão em suas atividades nas redes sociais. Cada criador de conteúdo atua como sua própria linha de distribuição e produção. Isso dá às marcas uma grande oportunidade de atingir um milhão de views e estabelecer um programa que alcança esse número semanalmente ou mensalmente com uma variedade de criadores. Mas é preciso ter cuidado ao aderir a essa abordagem para aumentar suas chances de sucesso. Ricky Ray Butler, VP sênior de digital da Branded Entertainment Network escreveu artigo para o Advertsing Age apresentando quatro regras para executar campanhas com influenciadores de sucesso:#1: Evite “one hit wonders” — A consistência é o que abre os portões da escala. Utilizar conteúdo de uma variedade de influenciadores, aqueles com um histórico comprovado de performance, podem ajudar a atingir indicadores fundamentais de desempenho.
#2: Empodere o conteúdo, não o disturbe — influenciadores constroem e conhecem seu próprio público, são os melhores em comunicar a mensagem da sua marca para aquela audiência.
#3: O processo importa — criar um número alto de conteúdo demanda um nível de simplicidade e padronização, por isso é importante que os objetivos da marca sejam digestíveis e traduzíveis para vários influenciadores.
#4: Saiba como divulgar e não tenha vergonha — relação entre marca e criador do conteúdo deve estar clara na peça.
Uma informação importante: nos últimos dez anos houve um aumento de 10% de reações positivas, mensuradas por “likes” e “dislikes” em torno de conteúdo claramente rotulado como patrocinado, segundo pesquisa do Peg.co . Espectadores apreciam transparência e entendem que as marcas estão simplesmente apoiando a criação de conteúdo que já adoram. Fonte: Meio&Mensagem
84% dos consumidores A e B já usam apps para fazer transações financeiras
Estudo do Collinson Group baseado em entrevistas com 6.125 consumidores que possuem entre 10 a 15% dos salários mais altos da Austrália, Brasil, China, França, Hong Kong, Índia, Singapura, Reino Unido, EUA e dos Emirados Árabes Unidos, constatou que 84% dos consumidores da elite econômica brasileira (classes A e B) já utilizam apps para serviços bancários e financeiros – em 2014 eram 78%. O estudo também revelou que a maioria dos clientes (56%) prefere fazer suas operações bancárias on-line ou via aplicativo móvel, enquanto 44% prefere usar o telefone ou ir a agência bancária. Outras informações importantes da pesquisa incluem:
79% fazem pagamentos digitais sempre que possível
74% dizem que o mobile banking é extremamente importante
74% citam uma boa experiência digital como fator importante na fidelidade à marca
63% usam carteiras digitais (incluindo Apple Pay, Google Wallet ou PayPal), um risco para as marcas de serviços financeiros
79% dizem que se sentem leais ao seu banco
73% afirmam esperar recompensas e reconhecimento por esta fidelidade,
43% não acreditam que os bancos ofereçam recompensas ou reconhecimento por sua fidelidade
O estudo mostrou que as instituições que estão investindo em programas de fidelidade abrangentes, que incluem não apenas benefícios ligados aos cartões de crédito, mas também referentes `as contas correntes, aos seguros e investimentos oferecidos etc, estão colhendo benefícios, incentivando 81% dos seus participantes a gastar mais, enquanto os programas exclusivos de cartão de crédito influenciam positivamente 74%. Fonte: R7

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: