Megastores são realmente necessárias? O encolhimento das lojas Target, Walmart…

02/09/2016

Tendência de lojas menores tem a ver com o espaço nas grandes cidades e também com as compras online

A tendência atual das grandes redes de varejo nos EUA parece ser a montagem de lojas menores, um movimento na direção contrária do que acontecia até alguns anos atrás, quando as novas lojas eram todas megastores. Por um lado, isso parece lógico quando se trata de encontrar espaço em centros urbanos cada vez mais densamente povoados. Mas a novidade é que o sucesso desses formatos menores não exige um cenário urbano. Com o comércio digital permitindo que os consumidores peçam online e peguem os produtos nas lojas, pedindo que determinados produtos sejam enviados para sua loja preferida, ou podendo escolher entre vários serviços e canais, o tamanho da lojas parece importar cada vez menos. O varejo está progressivamente se tornando um negócio do tipo “compre-como-quiser” e isso faz com que as lojas físicas tornem-se cada vez mais um investimento questionável. Resumindo, o futuro das megastores não é exatamente róseo. Eis alguns movimentos recentes das grandes redes: a Target já está operando mais de 20 lojas pequenas geralmente vendendo marcas exclusivas; a Walmart já opera com quase 700 lojas pequenas, buscando atrair a vizinhança; a Lowe’s está começando nessa direção, tendo aberto duas lojas pequenas em 2015. Fonte: LoyaltyOne

Pesquisa: por que PMEs dão mais valor a flexibilidade em tecnologia de marketing

De acordo com uma nova pesquisa da Campaign Monitor e da Market Cube, a flexibilidade é o critério principal que as pequenas e médias empresas utilizam quando selecionam tecnologias de marketing, mencionada por 63% dos entrevistados. 45% disseram que gostaria de poder escolher a melhor tecnologia para cada função de marketing e um número praticamente igual disseram que gostariam de que as soluções fossem adaptáveis às variações das verbas. Essa ênfase em flexibilidade também significa que há mais PMEs implementando as melhores soluções para cada função em vez de confiar em apenas um fornecedor. Mais de 80% das empresas ouvidas no estudo da Campaign Monitor disseram estar usando essa abordagem. Fonte: eMarketer

Salesforce lança app de B2B Analytics
“A maioria das empresas estão fracassando totalmente em conectar os dados ao que elas estão tentando fazer”, afirmou Shannon Duffy, VP of Marketing da Salesforce Pardot, o braço de automação B2B da gigante de computação na nuvem, em entrevista à Direct Marketing News. É uma situação que a Salesforce pretende fazer frente com o lançamento nesta quinta, 1/9, do “Wave App for B2B”, que faz parte dos novos Wave Analytics Apps, criados pela própria Salesforce ou por seus parceiros independentes. A Wave Analytics Cloud já existe desde 2014 e oferece um conjunto customizável de ferramentas na nuvem. Os novos produtos, incluindo um app de serviços financeiros e também este agora para marketing  B2B, são soluções prontas para usuários com necessidades específicas. Duffy acredita que o novo app facilitará a conexão de um grande número de atividades de marketing, da criação de conteúdo a campanhas e eventos, com o próprio negócio. Fonte: Direct Marketing News

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: