Como os programas de fidelidade devem usar os “beacons”

11/03/2016

5-Tips-on-Leveraging-Beacons-for-Loyalty-Programs5 dicas sobre como usar essas novas tecnologias para fidelizar seus clientes

Uma montanha de tecnologias conectadas e uma taxa crescente de adoção de smartphones tem resultado no autmento do número de comunidades e consumidores informados e com a possilibidade de exercer o poder. Em contrapartida, criou uma necessidade de que empresas e marcas interajam e entreguem melhores e mais personalizadas experiências aos seus clientes. As marcas precisam se concentrar não apenas em melhorar o engajamento do consumidor, mas também na fidelidade. A abordagem tradicional era construir essa fidelidade através de cartões, selos e cupons. Novas tecnologias, como os sensores, ou “beacons”, estão permitindo que esse tipo de oferta avance mais e os programas de fidelidade possam oferecer experiências customizadas, orientadas por dados e hiperlocais. Para aproveitar melhor a força dessas tecnologias, analistas dão 5 dicas: envie conteúdo e promoções dirigidas com precisão, seja transparente na obtenção dos dados, envie lembretes sobre premiações, gamifique a experiência e obtenha feedback. Entre as empresas cujos programas estão sendo “beaconificados” com sucesso, destacam-se Seattle Seahawks, Sephora, Starbucks e Bob Hope Airport. Fonte: Beaconstac

74% dos aeroportos no mundo informarão viajantes via “beacons” já em 2018
As companhias aéreas estão embarcando no voo da Internet das Coisas, mostra o estudo The Future Is Connected, da SITA, entidade que organiza a indústria aérea. Mais de um terço das empresas, segundo o estudo, já alocou fundos para implementar projetos de IoT e, nos próximos 3 anos, mais de metade de todas as empresas aéreas esperam estar com essas iniciativas rodando. Os aeroportos estão na dianteira, instalando sensores conectados à Internet, os beacons, para entre outras coisas medir os fluxos de passageiros e evitar as longas filas. 80% dos aeroportos vão investir nessas tecnologias nos próximos 3 anos e 79%, em serviços na nuvem. No final de 2018, 74% já estarão usando beacons para informar os passageiros, 58% para localizar objetos e 48% para controle ambiental. Os beacons serão também, naturalmente, uma plataforma para publicidade. Fonte: IoT Daily
Alibaba recebe linha de crédito de US$ 3 bilhões para usar em 5 anos
O Alibaba Group Holding ltd. anunciou nesta quinta, 10/3, ter assinado um acordo que lhe permitirá usar até US$ 3 bilhões durante 5 anos em aquisição de participações em empresas na China e no resto do mundo. O grupo chinês, liderado por seu fundador, Jack Ma, vem se expandindo para áreas além da sua indústria original, e-commerce, como video online, devido ao volume do seu negócio de compras virtuais ter diminuído o ritmo de crescimento. Em uma petição para a U.S. Securities and Exchange Commission, SEC, o equivalente no EUA ao CVM no Brasil, que o acordo foi assinado com um grupo de 8 “lead arrangers” e que o valor pode até aumentar se houver muita demanda. Fonte: Reuters

Uma resposta to “Como os programas de fidelidade devem usar os “beacons””

  1. […] Fonte: Como os programas de fidelidade devem usar os “beacons” […]

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: