NRF mostrou tecnologias que aumentam produtividade

22/01/2016

 

Tecnologia da Kinectic apresenta sugestões de roupa de acordo com o calçado experimentado

Kinectic mostrou tecnologia que apresenta sugestões de roupa de acordo com calçado experimentado. Foto: Romano Pansera

A promessa de facilitar a vida de consumidores e alavancar os resultados dos lojistas foi um dos destaques da edição deste ano
Produtividade foi a palavra-chave da NRF 2016. Muitos expositores apresentaram soluções de analytics para interpretar os dados e informações geradas (big data) e oferecer soluções. A partir desse conhecimento várias empresas de tecnologia descobriram necessidades dos consumidores que existem, mas que a gente, como consumidor, ainda não tem ideia de que precise de tal solução ou serviço. Chamou atenção, por exemplo, uma camiseta preta da Polo Ralph Lauren com tecido que vem com o sensor tipo polar para ler batimento cardíaco, gasto de calorias etc. Já a SAP mostrou um tênis de golf que avisa o atleta que o seu uso já se esgotou. Para atender e informar o consumidor sem que ele precise ficar lendo aquelas letras pequenas da embalagem, a Intel apresentou um sensor de presença que permite que ao passar a mão em cima do produto uma tela em cima da gôndola mostre todas as informações nutricionais, de rastreabilidade e de sustentabilidade. A Catalyst desenvolveu um espelho com delay para que o consumidor, quando estiver no provador, possa ver como ficou a roupa na parte de trás, ou seja, nas suas costas. Esse serviço está aumentando consideravelmente as vendas. Nessa direção, a Kinectic apresentou uma solução para ser colocada no espelho do provador das lojas de calçados; o objeto sugere roupas para combinar com os sapatos que o consumidor está experimentando. Com isso a conversão das vendas de sapatos desses varejistas praticamente dobrou. A Pricer apresentou uma nova geração de etiquetas eletrônicas com tecnologia infravermelho que baixa de três minutos para três segundos a mudança e controle de preços nas gôndolas. A NCR apresentou um aplicativo que integra todas as soluções e listas de compras do consumidor, permitindo que na loja ele simplesmente converta a sua compra optando por interagir com o programa de fidelidade bem como a escolha da forma de pagamento seja pelo mobile, seja pelo checkout do próprio supermercado. Fonte: Meio & Mensagem (via Portal Abemd)

 

Mini-lojas: a Target terá sucesso onde a Walmart falhou?
Enquanto a Walmart anunciava no início desta semana o fechamento de todas as suas 102 lojas Express, a Target tomava o sentido contrário e acelerava a abertura de lojas menores, além de trocar o nome delas de Target Express para simplesmente Target. Segundo a empresa, elas são críticas para o objetivo de se conectar com consumidores mais jovens em centros urbanos. Burt Flickinger, diretor do Strategic Resource Group, afirmou ao San Francisco Chronicle que a Target tem uma importante vantagem competitiva sobre a Walmart :”A Target sempre teve uma imagem de marca melhor em centros urganos do que a Walmart.” Brian Cornell, CEO da Target, parece determinado a não repetir alguns dos erros que sua rival cometeu e trabalhar com perfis de consumidores diferentes das lojas da rede localizadas nos subúrbios. Fonte: RetailWire

Pesquisa: popularidade dos botões de compra está crescendo
As empresas estão fazendo incursões na integração social há vários anos. E muitas experimentaram o uso de botões de compra direta em campanhas de marketing digital. Um novo estudo da Campaigner, a marca de email marketing da j2 Global, mostrou que eles não apenas estão funcionando como expandindo. A pesquisa ouviu 506 “email marketers” e 36% dos entrevistados relataram um aumento de vendas com a integração desses botões de compra. Para 2016, os resultados indicam uma ênfase ainda maior, com cerca de 60% das empresas projetando usar esses botões. Os canais preferenciais? Email e Facebook. Fonte: Venture Beat

Estudo: como a Internet das Coisas está mudando a indústria de turismo
Seja monitorando o desempenho de motores de aviões, permitindo o acesso sem chave a quartos de hotel ou ajudando turistas a se localizar no Disney World, a Internet das Coisas está criando oportunidades excitantes para a indústria de viagens e hospitalidade, afirma um novo estudo da emarketer, “The Internet of Things: What Travel and Hospitality Marketers Need to Know Now”. Conectando dispositivos inteligentes, processos e pessoas de novas formas, a IoT está aperfeiçoando as operações de back-end para companhias aéreas, hoteis, resorts, navios de cruzeiro e locadoras de carro. Ao mesmo tempo, os dados dessas conexões estão ajudando as empresas a entregar campanhas mais personalizadas e experiências do viajante mais excitantes. Ou seja, está ajudando essa indústria altamente competitiva e movida a prazos a transformar informação em ação, principalmente devido ás tecnologias estarem ficando mais baratas e mais poderosas. Fonte: eMarketer

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: