Computação vestível está ficando mais vestível – e mais inteligente!

25/08/2015

Campanha do McDonald’s , à direita, era cópia da ideia à esquerda. Confira abaixo

Em relação aos “wearables”, o marketing ainda está voltado para as características dos produtos – mas logo passará a usá-lo para comunicação

Comandado principalmente por relógios inteligentes, o mercado de vestiíveis crescerá dos 18 milhões de produtos de dois anos atrás para 197 milhões em cinco anos, de acordo com a consultoria de pesquisa Tractica. Por volta de 2020, os relógios ainda liderarão a categoria, com 48% da produção, seguidos dos trackers de forma física, com 45 milhões de produtos, ainda de acordo com o relatório. Mas o computador vestível por excelência é uma peça de vestuário inteligente que pode ser vestido como uma roupa (a Ralph Lauren já tem uma camisa polo que pode transmitir dados sobre exercícios para um smartphone). O marketing também vai mudar. Os esforços atuais concentram-se nos recursos, na aparência e no design dos dispositivos, mas o valor real dos vestíveis está na possibilidade de extrair dados úteis e gerar insights acionáveis, além de informação contextual que pode ser enviada para eles. Fonte: MediaPost/IoT Daily

Melhor logística gera mais receitas no e-commerce das grandes redes de varejo

As maiores redes de varejo norteamericanas tiveram fortes vendas online no segundo trimestre deste ano, continuando uma tendência de expansão das vendas em e-commerce mais rápida do que as vendas nas lojas. Eles também declararam estar dando passos na direção de entregar os produtos aos consumidores de forma mais lucrativa. Home Depot, Target e Walmart, por exemplo, estão usando centros de entrega dedicados para ajudar a expandir a base de seus consumidores, aumentar eficiência e estimular vendas. “O modelo de entrega direto da loja permite equilibrar o inventário em toda a rede, alavancar os ativos a partir das nossas lojas e alcançar os clientes mais rapidamente”, disse Brian Cornell, CEO da Target. Fonte: The Wall Street Journal

 

McDonald’s usa ideia que havia viralizado e é obrigado a pedir desculpas

O diretor de arte e designer David Sikorski  e a fotógrafa Kristina Bakrevski publicaram há cerca de um mês uma série de fotos em que David aparecia, “envolvido romanticamente” com um burrito. As imagens viralizaram a partir de sua publicação no BuzzFeed e, na semana passada, o McDonald’s resolveu pegar carona no sucesso para divulgar a oferta de um cheeseburger duplo por US$ 2,50 e fez uma campanha no Twitter com imagens muito parecidas. Pegou mal, evidentemente, e a empresa foi obrigada a publicar um pedido oficial de desculpas aos criadores. “Eu fiquei louco da vida”, confessou Sikorski, “ainda que muitos amigos tenham me dito que a imitação era uma forma de elogio.” Fonte: Adweek

 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: