O marketing hoje: a opinião de quem pensa e faz. E outras questões

18/03/2014

Pesos pesados dizem o que pensam sobre o marketing de hoje

A ISC Brasil 2014 começa hoje no Expo Center Norte – Pavilhão Verde – São Paulo. Saiba mais

O marketing de hoje não é para fracos. Segundo alguns dos principais executivos da área, exige pensar diferente e grande. Sem a pretensão de esgotar o assunto, esses líderes da indústria falaram francamente para The Economist sobre como atingir o sucesso no marketing atual. “Como profissionais de marketing fomos seduzidos pela tecnologia, mas precisamos pensar sobre os clientes em primeiro lugar.” Laura Henderson, director, U.S. media and communications, Modelez International. “Fomos a rede social original; a questão, portanto, é como pegamos novas tecnologias e as aplicamos nos tentáculos que já temos. Nosso investimento concentra-se no digital, porque estamos tentando encontrar uma maneira de fazer chegar a nossa mensagem diretamente para os consumidores …. Estamos muito empenhados em social. Queremos ter certeza de que somos parte da conversa.” Candace Matthews, CMO, Amway. “Coletamos tantos dados quanto os clientes aceite. Usamos o “sunshine test”: se os clientes sabem que estamos coletando um tipo de dados sobre eles, eles vão reagir bem a isso.” Tariq Shaukat, EVP and CMO, Caesars Entertainment. “[Marketing] é diferente atualmente, porque temos acesso a tantos dados. É um mundo de ‘data-first’ em que estamos vivendo. O marketing em tempo real mudou a face do marketing. Mas você precisa ter um orçamento defensável para fazer [consistentemente] em tempo real.” Amit Shah, VP online, mobile, and social, 1-800-flowers.com. “Mobile vídeo tem que ser relevante para sua marca e à experiência dos clientes. Eu me preocupo o tempo todo se será um grande conteúdo e como ligá-lo à minha marca? Não basta executar uma extensão da sua campanha nacional, você pode perder uma oportunidade de envolver os seus clientes… Em vez de pensar se vai virar viral, penso se o consumidor vê-lo novamente.” Scot Safon, EVP and CMO, The Weather Company. “Hoje, as marca vivem uma situação de custódia conjunta, dividida entre a empresa e seus clientes. Eu gosto [do fato que]… nosso melhor conteúdo vem dos depoimentos e das experiências de mulheres reais com nossos produtos. Os princípios [de conteúdo] não mudaram, apenas como são apresentados.” Sheryl Adkins-Green, CMO, Mary Kaye. “Os dias de ficar de pé e falar sobre si mesmo já eram. Você precisa contar uma grande história na forma do canal em que é consumido.” Neil Bedwell, global group director, digital strategy and content, The Coca-Cola Company. “Fãs que interagem são mais importantes do que fãs ávidos.” Simon Wardle, chief strategy offer, Octagon. “Nós nos vemos como mais do que uma empresa de tecnologia… que conecta compradores e vendedores. Queremos facilitar a sua viagem para que você possa desfrutar da sua paixão sem problemas e sem esforço.” Michael Robichaud, SVP, global sponsorships, MasterCard. “O Santo Graal [em marketing] é poder decidir em tempo real… Com tempo real eu posso ver o que está funcionando e o que não está e fazer alterações no ato. Será uma mudança profunda para o setor de marketing.” Deanie Elsner, CMO, Kraft Food Group. Fonte: DMNews

Infeliz com as métricas dos seus emails? Inclua um cupom

A eMarketer estima que no ano passado, a maioria da população adulta dos EUA usou cupons digitais e esse número vai subir para 55% este ano. A julgar pelas pesquisas recentes, é provável que muitos desses cupons venham em emails. De acordo com um estudo sobre o último trimestre de 2013, os emails enviados por clientes da Experian Marketing Services que incluíram cupons tiveram mais sucesso do que aqueles sem cupons. Campanhas de e-mail nas quais os destinatários receberam um cupom tiveram uma taxa de clique único 34% maior e uma taxa de abertura única 14% superior. Além disso, as taxas de conversão subiram 27%. A receita por email com cupons teve um sucesso maior ainda: 48% a mais, em comparação com outros emails promocionais. Mas a pesquisa constatou também que, às vezes, cupons não são suficientes – personalização é o que os consumidores realmente querem e eles ficam mais propensos a fazer uma compra depois de receber emails personalizados. É provavelmente por isso que uma pesquisa da RIS News realizada em agosto de 2013 constatou que metade dos varejistas na América do Norte estava planejando enviar emails com ofertas personalizadas nos próximos 12 meses, em comparação com um quarto dos entrevistados que já fizeram isso. Com base nos resultados da Experian, há pouca dúvida de que estes esforços serão recompensados. Fonte: eMarketer 

Duas palavras sobre como ampliar o alcance dos apps das marcas: deep links

As pessoas passam cada vez mais tempo em dispositivos móveis e isso significa mais tempo dedicado a aplicativos. Cerca de 80% do tempo gasto no celular agora é gasto com apps e o tempo gasto em dispositivos móveis supera o gasto em desktops, de acordo com a comScore. O problema é que links para conteúdos dentro de aplicativos não funcionam tão bem quanto na web. É aí que entra a tecnologia deep linking, que permite links dentro de aplicativos que funcionam de forma semelhante aos links que levam os usuários da Web a determinadas páginas de um site. Segundo John Milinovich, fundador e CEO da URX, uma startup que trabalha com retargeting em aplicativos móveis, usando deep linking, a tecnologia torna muito mais fácil para as marcas engajar os usuários de aplicativos móveis, executando campanhas orgânicas de marketing que apontam para conteúdos relevantes em seus aplicativos pagos, o que leva a melhores taxas de conversão e de cliques – e consequentemente, mais valor vitalício do usuário. A tecnologia já é usada atualmente por Facebook, Twitter e Google. Fonte:MobileMarketingDaily

As matérias acima foram publicadas no Portal Abemd e serão publicadas na seção Marketing Diálogo pelo Mundo da revista Marketing Direto

Câmeras antivandalismo e vitrine inteligente são novidades em feira de tecnologia

Hoje começa a 9ª edição brasileira da Feira e Conferência Internacional de Segurança, ISC Brasil, em São Paulo (SP). No maior estande da feira, a Axis Communications, líder mundial em videomonitoramento, apresentará soluções inovadoras para os setores de varejo e segurança pública em dois ambientes – uma praça pública e uma loja – onde serão demonstradas na prática. Na praça, uma câmera antivandalismo (ultrarresistente a golpes) e uma câmera com botão de pânico, que, ao ser acionado, promove um canal de comunicação com uma equipe de segurança remota, que pode, então, fazer perguntas e passar orientações. Na loja, um sistema inteligente de câmeras ocultas. Uma câmera na vitrine pode, por exemplo, identificar o gênero e a faixa etária de quem observa e dar o comando para que sejam exibidos, em uma tela, anúncios personalizados. O gerente de marketing da Axis para América do Sul, Marcelo Ponte, estará à disposição para apresentar as soluções e falar sobre o mercado de varejo e segurança pública. O evento ocorrerá entre 19 e 21 de março, das 13 às 19:30 horas, no Expo Center Norte – Pavilhão Verde – São Paulo.Para saber mais sobre a feira e o congresso ISC Brasil, acesse www.iscbrasil.com.br. Mais informações sobre a Axis em http://www.axis.com/pt. Fonte: Fundamento Comunicação Corporativa

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: