Como transformar dinheiro velho em adubo novo. E outras questões

02/10/2013

Pará transforma dinheiro em adubo

Orlando Marques fala sobre o destino da publicidade. Confira abaixo

Transformar as velhas cédulas emitidas pelo Banco Central (BC) em adubo é projeto que nasceu em 2010, em uma universidade de Belém, no Pará.Três anos depois ganhou o apoio da instituição e pode ajudar as lavouras de agricultores familiares do Estado. O sistema consiste em utilizar o papel para fertilizar e regenerar o solo da região, por meio de um composto produzido com palhas e restos de frutas e verduras. A medida é uma alternativa para as cédulas, que, anualmente, são retiradas de circulação. Por seu aspecto social e ambiental, o projeto que dá uma destinação nobre às velhas cédulas tem grande destaque no BC. Além disso, é uma maneira do Banco se adequar à Política Nacional de Resíduos Sólidos – lei que, entre outras questões, exige a destinação final ambientalmente adequada dos rejeitos, ou seja, proíbe a instituição de jogar as notas em aterros sanitários.A técnica mistura o papel picotado com restos de milho, feijão, cascas de limão e plantas. Entretanto, já está em estudo a composição com outros resíduos.O processo foi desenvolvido pelo professor Carlos Costa, do Instituto Socioambiental e de Recursos Hídricos da Universidade Federal Rural da Amazônia (UFRA). A pesquisa já recebeu R$ 100 mil para os custos com bolsas de iniciação científica e despesas com análises químicas, além de apoio da fundação de pesquisa e do governo do Pará. Fonte: Ciclo Vivo (com informações do Estadão)

Adobe proporciona métricas de audiência padronizadas

A Adobe anuncia a disponibilidade de novas métricas de audiência padronizadas para publicações digitais por meio da Adobe Digital Publishing Suite (DPS). Com as análises adicionadas ao DPS é possível medir a cada edição o número total de leitores de tablets, o tempo médio gasto nas leituras e quantas sessões são lidas por edição. Assim, cria-se um método claro de medir e reportar a audiência das edições digitais de revistas. A padronização das métricas de audiência e de engajamento da Adobe foi realizada em colaboração com algumas das principais editoras de revistas, a MPA – Associação de Mídias de Revistas e a Associação Americana de Agências de Publicidade (4As). Editoras de nível mundial, como a Time Inc., Meredith Corporation, Condé Nast, Martha Stewart Living Omnimedia, Inc., National Geographic e Rodale, usam o DPS para entregar mais de 120 milhões de publicações aos seus leitores. Portal Abemd

“Insista, persista e resista”, diz Orlando Marques

Em entrevista conduzida por Toninho Rosa para o Adnews na TV, Orlando Marques, presidente e CEO da rede de agências Publicis no Brasil e, desde maio, presidente da ABAP, falou sobre carreira, sua longa jornada em empresas de mídia, as vantagens e desvantagens do mercado brasileiro, o cenário de total de integração da comunicação, gestão de talentos, além dos desafios dos seus cargos. Assista os vídeos no Adnews

Empresa brasileira de software reforça segurança na Venezuela com câmeras Axis

A polícia do estado de Táchira, na Venezuela, conseguiu reduzir significativamente a criminalidade em uma área de 16 quilômetros quadrados na cidade de São Cristóvão após instalar câmeras da Axis Communications e o software de gestão de imagens da empresa brasileira Digifort. A área concentra muitas empresas e conta com aproximadamente 14 agências bancárias. Por isso, a integradora de sistemas Soluciones Linktel C.A. foi contatada para fornecer uma solução para otimizar o trabalho de vigilância e segurança realizado pela polícia estadual de Táchira. No total, foram instaladas 31 câmeras da Axis Communications, sendo 15 do modelo AXIS Q6032-E e 16 AXIS P1343-E. Todas são controladas e monitoradas através do software da Digifort, empresa nacional que está expandindo suas operações para atuar também em outros países. Os resultados apareceram logo no primeiro mês de testes: a polícia estadual de Táchira realizou 25 operações no local, conseguindo evitar furtos e podendo até mesmo localizar veículos roubados e devolvê-los a seus donos. Os transeuntes também se sentiram mais tranquilos ao transitarem pelo local monitorado. Devido ao êxito desta instalação, o Governo do Estado de Táchira está considerando estender o método de vídeo monitoramento para outras áreas em seus planos de médio prazo. “A Axis é nossa parceira global. Este caso de sucesso em Táchira, na Venezuela, é uma prova que nossos produtos estão atendendo às demandas de mercado no continente latino-americano. Além disso, temos vários projetos assinados em conjunto por todo o mundo. No Brasil, por exemplo, Axis e Digifort estão presentes em importantes soluções voltadas para grandes eventos, como a Copa do Mundo FIFA 2014 e as Olimpíadas Rio 2016, além de fornecer tecnologia para os segmentos de segurança pública e privada de forma geral”, enfatiza Carlos Eduardo Bonilha, diretor executivo da Digifort. Fonte: Axis Communications

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: