Após pronunciamento sobre IPO, Twitter publica foto:

Depois do Twitter sobre o IPO, Twitter publicou outro: “Agora, de volta ao trabalho”

Quem acompanha o perfil @twitter, teve acesso ontem na quinta-feira passada a uma informação bombástica: a empresa fez uma solicitação à SEC (organismo que regula o mercado de capitais nos EUA) para aprovar um IPO. O tweet dizia, textualmente, “We’ve confidentially submitted an S-1 to the SEC for a planned IPO. This Tweet does not constitute an offer of any securities for sale.” Continue lendo »

Pesquisa: faz cada vez mais sentido abolir fronteiras entre online e offline, marketing diálogo e branding

Foi publicado um novo relatório da eMarketer – Key Digital Trends for Q3 2013: How Omnichannel Is Blurring Boundaries Everywhere – com informações relevantes para quem defende o fortalecimento do marketing omnicanal. Segundo o estudo, os varejistas estão ansiosos com as indiscutíveis mudanças de hábitos dos consumidores em relação ao momento, o lugar, a plataforma e o dispositivo com que realizam as compras. Um exemplo é o significado de “mobile”. A maior parte do uso de um dispositivo móvel ocorre na residência, mas mobile já não diferencia um consumidor sedentário de alguém que está em movimento. O dispositivo móvel é apenas uma outra representação do consumidor, cada vez mais indistinto de qualquer outro dispositivo de computação. Outro insight da pesquisa tem a ver com fronteiras: elas estão cada vez mais borradas entre online e offline, assim como entre branding e comunicação com resposta direta, ou diálogo. A eMarketer estima que, do total de 42 bilhões de dólares que serão investidos em publicidade digital nos EUA em 2013, cerca de 60% irá para resposta direta.Portal Abemd

Estudo: mobile começa a se tornar crítico para bancos Continue lendo »

Proprietários de dispositivos móveis preocupados com privacidade

Novo projetor LED compacto foi lançado em feira de tecnologia alemã. Saiba mais

Artigo desta semana no Direct Marketing News comenta a edição mobile do estudo 2013 Consumer Data Privacy, conduzida pela Harris Interactive para a TRUSTe, com mais de 700 usuários de smartphones. Um dado chama a atenção: 22% dos usuários de smartphones disseram que sua preocupação número um ao usar aplicativos é o de ter sua privacidade violada. Em compensação, praticamente o dobro (42%) disseram que sua preocupação principal era que os aplicativos esgotam suas baterias. Mais de um terço dos usuários de smartphones possui os dispositivos há menos de dois anos. E cerca de 38% deles estão mais preocupados que a sua privacidade esteja sendo violada em PCs do que em dispositivos móveis, apesar dos recursos de geolocalização. Trinta e um por cento dos entrevistados não sabiam que estavam sendo monitorados em seus telefones celulares. “Atualmente e também em um futuro próximo, as empresas devem dar atenção extra ao celular por comerciantes”, diz Dave Deasy, VP de marketing da TRUSTe. “Ainda há um monte de gente para quem o smartphone é novo, que ainda não descobriu o que é um computador, então agora é a hora de estabelecer a base de como você vai usar os dados do cliente e como você vai comunicar isso a eles.” Leia também: Twitter compra empresa de publicidade móvel digital MoPub, e outras notícias do mercado de Marketing Direto = Marketing Diálogo no Portal Abemd

Mercedes estuda abrir fábrica no Brasil Continue lendo »

Estudo: atendimento ao consumidor pode matar uma marca

Garrafa que utiliza tecnologia da NASA para filtrar água. leia abaixo

O Temkin Group publicou recentemente seu 2013 Temkin Customer Service Ratings, que avaliou 235 empresas de 19 setores, baseado no feedback de 10 mil consumidores dos EUA. Os resultados são preocupantes principalmente para provedores de TV e Internet. Segundo os consumidores, eles são péssimos – nove entre as 10 últimas posições estão ocupadas por esses serviços. As montadoras de automóvel americanas também têm com o que se preocupar: a Chevrolet e a Chrysler foram listadas como as piores no segmento, enquanto a Toyota, como a melhor. A Apple foi bem avaliada como fabricante de computadores, mas está derrapando no varejo, onde suas Apple Stores ranquearam muito mal. Continue lendo »

Estudo: mobile cada vez mais presente em estratégias globais de marketing

Nismo Watch foi desenvolvido pelo Nismo Lab

Nissan lança smartwatch. Ver nota abaixo

Um estudo realizado pela Responsys e pela eConsultancy mostra que as empresas estão cada vez mais otimistas em relação a anúncios mobile. A pesquisa, realizada no início deste ano com 890 empresas, incluindo agências de marketing, bem como varejistas e outros, também descobriu que 60% das empresas disseram ter uma estratégia para integrar o mobile marketing aos seus esforços globais de marketing. Mais: 15% delas descreveram essa estratégia como importante.  As empresas também disseram que as taxas de resposta para os seus esforços de marketing mobile estão aproximando-se da taxa dos anúncios em desketops. “Houve um aumento significativo em todo tipo de publicidade mobile em relação ao ano passado”, observou o relatório. Continue lendo »

Morre o publicitário Francesc Petit, o "P" da DPZComeçamos com uma nota de pesar. O mercado brasileiro de publicidade está de luto com a morte de um dos seus ícones: Francesc Petit, um dos principais diretores de arte da história da propaganda brasileira e criador da DPZ.  Continue lendo »

A Nokia prepara sua plataforma Here para competir com o Google?

The current Here.com browser interface showing the map of Europe.

A interface para browsers do Here, mostrando o mapa da Europa

Como a essa altura todo mundo na Via Láctea e talvez até fora da galáxia já sabe, a Nokia vendeu sua divisão de celulares para a Microsoft. Mas a empresa finlandesa manteve três divisões que o CEO interino Risto Siilasmaa afirma que gerar “balanços muito mais azuis”: a Nokia Solutions and Networks, unidade de equipamentos de telecomunicações, a Advanced Technologies, focada em sensores e em tecnologias de nuvem e web, e a Here, divisão de serviços baseados em localização. Alguns analistas estão entusiasmados com essa última. David Meyer, no GigaOm, afirma com todas as letras que as capacidades de mapeamento, navegação e realidade aumentada fazer da Here uma seríssima candidata a concorrer – e até desbancar – o Google e seu Glass. Leia também: Associado ABEMD tem desconto MUITO especial na DMA, e outras notícias do mercado de Marketing Direto = Marketing Diálogo no Portal Abemd

Petrobras vai fincar bandeira brasileira e cápsula do futuro na região do pré-sal Continue lendo »

Pesquisa comprova: “falem mal, mas falem de mim” funciona mesmo

Já ouviu aquela frase que diz “não existe má publicidade”? Pois, agora, uma pesquisa comprovou que pode ser que não exista um boca-a-boca ruim. A LoyaltyOne uniu-se a pesquisadores e analistas linguísticos da Northwestern University e fez uma pesquisa sobre o assunto. O relatório, publicado em julho, demonstra que um boca-a-boca negativo pode na realidade indicar paixão pela marca e levar a um aumento de vendas – se trabalhado de forma adequada e rápida. Além disso, experiências potencialmente negativas e comentários podem ser traduzidas em maior engajamento da marca e, no caso de programas de fidelização, aumento de resgates. De acordo com o relatório,The Positive Power of Negative Word-of-Mouth, “a própria condição de engajamento negativo é ao mesmo tempo uma advertência e, quando as melhores práticas são empregadas, uma oportunidade.” O estudo tomou como base um evento de 2011, quando o AirMiles, operado pela LoyaltyOne, fez algumas mudanças no regulamento. Uma dessas mudanças afetou as regras para resgate das milhas, uma área sensível para os participantes do programa de fidelidade. Sabendo disso, a LoyaltyOne passou a prestar atenção aos comentários dos participantes em comunidades. A principal descoberta que foi que os membros que postaram comentários eram geralmente os clientes mais valiosos – eles eram 70% envolvidos mais ativamente com o programa do que quem não postou. Conclusão: comentários negativos decorrem da ligação emocional com a marca ou, como o relatório coloca, eles eram “mais apaixonados ao expressar as suas opiniões.” Além disso, descobriu também o estudo, paixão pode levar a atividade. Cerca de um terço das pessoas que postaram comentários fizeram resgates depois. Eles também aumentaram a sua atividade de crédito de milhas em 36% – comparado com 21% no grupo de controle. Portal Abemd

Ribeirão Preto recebe maior projeto de energia solar residencial do Brasil Continue lendo »

Automação de marketing é sempre a melhor resposta?

Automate_fancyboxNas últimas décadas, comenta Cliff Pollan, president & CEO da Postwire, em artigo para o Direct Marketing News, os profissionais de marketing passaram a carregar uma nova ferramenta em seus cintos de utilidades: a automação de marketing. Se você está em uma empresa que vende bens de consumo ou commodities, ela é certamente uma das tecnologias mais importantes e poderosas para se investir. Como seu produto é bem conhecido e entendido, o que importa é estar no lugar certo quando o prospect for tomar a decisão de comprar. No entanto, Continue lendo »

Estudo: compradores via mobile são ativos, mas impacientes

Saks-Fifth-Avenue-SMS-Marketing-mShopperA empresa Maxymiser realizou uma pesquisa com mais de 1000 proprietários de smartphones que usam seus aparelhos para fazerem compras, e descobriu que 58% os usam quando estão em uma loja ou a caminho dela. Mas se o site ou o aplicativo visitado proporciona uma experiência ruim a concretização da compra torna-se menos provável –30% dos visitantes insatisfeitos podem sair e visitar imediatamente o site de um concorrente. Outra constatação do estudo: 23 % das pessoas vão lembrar a experiência ruim e voltar com menos frequência – 9% nunca vai voltar. Em compensação, e por causa da má qualidade geral das experiências mobile com o varejo, a loja ainda tem chance de recuperar o cliente descontente – 39% dos entrevistados disseram que saem do site móvel da marca e tentam acessar pela tela do PC. Continue lendo »