“Unmarketing”. Estamos face a uma nova tendência? E outras questões

24/07/2013

“Unmarketing”. Estamos face a uma nova tendência?

O termo unmarketing, aparentemente, foi cunhado pelo autor Scott Stratten

Segundo Ernan Roman, veterano profissional de marketing direto = marketing diálogo, em artigo para DM News, talvez o maior desafio a enfrentar hoje seja a crescente descrença dos consumidores com as mensagens dos anunciantes. Pesquisa recente da Forrester confirmou que 90% dos consumidores descreem das mensagens comerciais, inclusive as que chegam via mídias sociais. A saída? A velha e boa honestidade, afirma Roman. Segundo ele, “quando a satisfação do cliente e uma boa experiência do consumidor tornam-se mais importantes do que simplesmente fazer uma venda, a empresa como um todo se eleva de patamar e o aumento da satisfação do cliente resulta em aumento das vendas em longo prazo. Para algumas empresas, isso requer uma mudança fundamental na cultura.” O exemplo que ele apresenta é o da Life Line Screening, uma empresa que realiza exames de saúde preventivos. Com 17 mil postos, a LLS realiza quase um milhão de exames por ano com o foco de evitar os efeitos catastróficos de doenças cardíacas e derrames cerebrais. A empresa utiliza pesquisas do tipo “VoC”, voice of customer, e descobriu que a eficiência melhorava significativamente quando usavam comunicações altamente personalizadas para follow-up um ano depois de realizar os exames, indicando quais os exames deveriam ser feitos de novo – e principalmente quais não fazer. “Dizer às pessoas o que eles não precisam comprar gerou uma grande dose de confiança e fidelidade”, contou Eric Greenberg, vice-presidente executivo da LLS. Leia também: Modelo “freemium” de games atrai capital de risco, e outras notícias do Marketing Direto = Marketing Diálogo no Portal Abemd

Elsevier lança um guia de estratégias para empreendedores

A Editora Elsevier anunciou o lançamento do livro Ferramentas Estratégicas, de Vaughan Evans, que tem o objetivo de ajudar empreendedores a escolher criteriosamente as abordagens mais úteis para o seu negócio, criando um plano com táticas para tentar o sucesso. Com 88 modelos e técnicas enquadradas em uma pirâmide inovadora, trata-se de leitura indispensável para profissionais ligados à criação, implementação, avaliação e análise do composto e cenário estratégico do negócio, sejam eles pequenos, médios ou grandes. Continue lendo em A Zona de Desconforto

Flipboard ganha versão para desktop

O Flipboard, aplicativo conhecido por agregar notícias, chega finalmente à web. Após três anos sendo exclusivo dos dispositivos móveis, agora o serviço também funciona em navegadores. O app surgiu em 2010 somente na versão para iPad, contudo, em seguida foi disponibilizado para iPhones e dispositivos Android. Neste ano, o Flipboard também recebeu uma nova função que permite que os usuários criem suas próprias “revistas virtuais” a partir de notícias da internet. Adnews

Palácio de Arte da China implanta videomonitoramento de alta definição

Um dos principais museus chineses, localizado em Shanghai, implantou um sistema de segurança digital com câmeras inteligentes fornecido pela Axis Communications, em parceria com a Aimetis Corporation. O projeto utiliza câmeras HDTV, com tecnologia Lightfinder (para áreas de baixa iluminação) e câmeras WDR (Wide Dinamic Range ou amplo alcance dinâmico), entre outras. Continue lendo em A Zona de Desconforto

Estudo diz que plantas são capazes de se comunicar através do solo

A ideia de que as plantas desenvolveram uma rede de comunicação – como uma “internet subterrânea” – parece ter saído dos filmes de ficção científica, como “Avatar”, de James Cameron. No entanto, um estudo realizado por David Johnson, da Universidade de Aberdeen, na Escócia, mostra que as plantas parecem se comunicar entre si, trocando alarmes quando há perigo ou ameaça.

O experimento foi baseado em uma plantação de pés de feijões. Ao longo do estudo, o pesquisador acredita ter provado que, quando uma das plantas é atacada por pulgões, um alerta é enviado para suas “vizinhas”.  O experimento foi baseado em um estudo feito por uma equipe chinesa em 2010, o qual mostrava que, quando um tomateiro era atacado, plantas próximas ativaram genes que ajudaram a evitar a infecção, mesmo  se o fluxo de ar entre as plantas tivesse sido interrompido.

Os pesquisadores não conseguiram provar, mas especularam que as moléculas de sinalização de perigo pudessem passar por uma rede de fungos.

Um estudo realizado anteriormente por Johnson comprovou que os vegetais atingidos por pulgões reagem com substâncias químicas orgânicas, as quais irritam os parasitas e atraem vespas que se alimentam do inseto. O pesquisador não sabia que a mensagem poderia se espalhar, como nos tomates, de planta para planta. Então, Johnson concluiu o estudo, mostrando que os fungos foram os mensageiros.

Aliado ao seu trabalho anterior, o pesquisador descobriu que as substâncias químicas orgânicas eliminadas pela planta infestada atrai vespas e repele pulgões.

A simbiose entre plantas e fungos é ainda uma área pouco explorada da biologia. Para o pesquisador, o mundo subterrâneo, embora invisível para o olho humano, não deve ser ignorado ou subestimado pela comunidade científica.

Reproduzido de Ciclo Vivo – com informações do The Economist.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: